Associação Zero denuncia voos noturnos “acima do dobro da legislação” no aeroporto de Lisboa

A associação ambientalista exige o fim dos voos noturnos sobre a cidade de Lisboa.

Cristina Bernardo

A associação ambientalista Zero denunciou hoje a existência de voos noturnos no aeroporto de Lisboa que registam valores semanais “acima do dobro da legislação”.

Recorrendo a dados no site da ANA – Aeroporto de Portugal, no site da Flightradar24 e na observação direta, num “total de dez dias entre 5 e 14 de julho, em sete foi ultrapassado o número máximo permitido de movimentos aéreos diários”, segundo um comunicado divulgado esta segunda-feira,1 5 de julho.

Em relação ao total semanal, “o valor é verdadeiramente escandaloso, na medida em que o valor médio de quatro períodos de sete dias é de 184 voos, mais do dobro dos 91 presentes na legislação, atingindo em dois casos 188 voos”.

A compilação desta informação foi feita no âmbito da campanha “décibeis a mais, o inferno nos céus”. Esta campanha pretende “alertar e sensibilizar para o impacto do ruído dos aviões sobre a cidade de Lisboa”.

A associação esteve a efetuar medições dos voos no Campo Grande nos dias 5 e 6 de julho, assim como o número de movimentos aéreos, para “avaliar o cumprimento da Portaria 303-A/2004 de 22 de março, referente ao regime noturno de exceção previsto para o Aeroporto Humberto Delgado”.

“De acordo com legislação do ruído publicada no ano de 2000, no período entre a meia-noite e as 6 da manhã, não seria suposto ocorrer qualquer movimento aéreo no Aeroporto de Lisboa. Foi no entanto criado, em 2004, um regime de exceção que permite neste período noturno um máximo de 91 movimentos por semana e 26 por dia”, destaca a associação.

Em declarações à Antena 1, Francisco Ferreira da Zero, defende o fim dos voos noturnos sobre a cidade de Lisboa, cumprindo assim a legislação, com a única exceção a serem os voos de emergência ou militares.

Ler mais
Recomendadas

Protesto contra exploração de lítio em Montalegre juntou 300 pessoas

O protesto teve como lema ‘não à mina, sim à vida’, e juntou participantes de todas as idades e de vários pontos da região e, até do país. Concentraram-se na praça do município da localidade do distrito de Vila Real e percorreram durante uma hora as principais ruas em dia de Feira do Fumeiro, um dos eventos mais importantes do concelho.

Infetados com coronavírus em França chegaram ao país sem sintomas

As três pessoas infetadas por coronavírus tinham tido passagens pela China.
Comentários