Até ao fim do ano, 75% dos promotores e investidores imobiliários pretendem lançar novos projetos

Os dados foram apresentados no Salão Imobiliário de Lisboa, baseados no inquérito do Portuguese Investment Property Survey, realizado pela Confidencial Imobiliário, e pela Associação Portuguesa dos Promotores e Investidores Imobiliários.

Nos próximos três meses 75% dos promotores e investidores imobiliários pretendem lançar novos projetos. Os dados foram divulgados esta quinta-feira no Salão Imobiliário de Lisboa, baseados no inquérito do Portuguese Investment Property Survey, realizado pela Confidencial Imobiliário, e pela Associação Portuguesa dos Promotores e Investidores Imobiliários.

Este inquérito diz respeito ao terceiro trimestre de 2019 e revela que as cidades de Lisboa e Porto serão os principais alvos de investimento. Por outro lado, 87% dos inquiridos assume estar ativamente à procura de terrenos para o desenvolvimento de novos projetos.

Os inquiridos apontam, contudo, três grandes obstáculos para a realização do potencial de investimento em nova promoção: a burocracia, os custos de construção e os preços dos terrenos.

Além disso, os investidores dizem estar  cautelosos em relação ao comportamento das vendas e dos preços e antecipam um abrandamento nas transações e uma estabilização dos preços no quarto trimestre de 2019.

Hugo Santos Ferreira, vice-presidente executivo da APPII, afirma que “era uma absoluta necessidade do mercado, existirem dados sobre o investimento e promoção imobiliária que estão em curso no país, especialmente numa altura em que a dinâmica nestes setores é tão forte. É algo há muito pedido pelo mercado e que encontra agora uma resposta com qualidade”.

Recomendadas

‘Vistos Gold’: Retirar Lisboa e Porto é “sinal negativo para investidores”, diz APEMIP

A medida apresentada pelo PS foi rejeitada pela associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal que considera que a medida vai no sentido de tentar travar a procura no mercado, em vez de promover o aumento da oferta.

Avaliação das casas sobe para 1.321 euros/m2 em dezembro e fixa novo recorde

Este valor representa um aumento de nove euros face ao mês anterior. O valor médio da avaliação anual situou-se nos 1.286 euros/m2 , representando um crescimento de 7,9% relativamente ao ano anterior.

Torre de Campolide com 26 andares já começou a ser construída

Este projeto conta com 26 pisos representa um investimento de mais de 90 milhões.
Comentários