Até ao fim do ano, 75% dos promotores e investidores imobiliários pretendem lançar novos projetos

Os dados foram apresentados no Salão Imobiliário de Lisboa, baseados no inquérito do Portuguese Investment Property Survey, realizado pela Confidencial Imobiliário, e pela Associação Portuguesa dos Promotores e Investidores Imobiliários.

Nos próximos três meses 75% dos promotores e investidores imobiliários pretendem lançar novos projetos. Os dados foram divulgados esta quinta-feira no Salão Imobiliário de Lisboa, baseados no inquérito do Portuguese Investment Property Survey, realizado pela Confidencial Imobiliário, e pela Associação Portuguesa dos Promotores e Investidores Imobiliários.

Este inquérito diz respeito ao terceiro trimestre de 2019 e revela que as cidades de Lisboa e Porto serão os principais alvos de investimento. Por outro lado, 87% dos inquiridos assume estar ativamente à procura de terrenos para o desenvolvimento de novos projetos.

Os inquiridos apontam, contudo, três grandes obstáculos para a realização do potencial de investimento em nova promoção: a burocracia, os custos de construção e os preços dos terrenos.

Além disso, os investidores dizem estar  cautelosos em relação ao comportamento das vendas e dos preços e antecipam um abrandamento nas transações e uma estabilização dos preços no quarto trimestre de 2019.

Hugo Santos Ferreira, vice-presidente executivo da APPII, afirma que “era uma absoluta necessidade do mercado, existirem dados sobre o investimento e promoção imobiliária que estão em curso no país, especialmente numa altura em que a dinâmica nestes setores é tão forte. É algo há muito pedido pelo mercado e que encontra agora uma resposta com qualidade”.

Recomendadas

Preços das casas em oito bairros de Lisboa já ultrapassam os cinco mil euros por metro quadrado

Chiado, Avenida da Liberdade, Barata Salgueiro, Baixa, Glória, Picoas, Bairro Alto e o eixo S.Paulo/Boavista/Conde Barão são as oito zonas da capital com preços mais elevados. O preço médio de venda das casas é de 3.870 euros/m2.

Plataforma imobiliária já permitiu às famílias portuguesas poupar nove milhões de euros em apenas duas semanas

A Urbiwise possibilita aos seus utilizadores e de forma completamente gratuita avaliar os seus imóveis. Em somente duas semanas esta plataforma já registou mais de 60 mil avalições feitos por cidadãos portugueses.
jerónimo_de_sousa_cdu_pcp_pelislativas

PCP propõe mínimo de dez anos para os contratos de arrendamento de habitação

Deputados comunistas dizem que aumento da duração dos contratos é a solução para muitas famílias que “estão constantemente em mudanças e com a preocupação de encontrar novamente habitação”, no que consideram ser uma consequência das “injustiças” do Novo Regime de Arrendamento Urbano.
Comentários