Auditores aprovaram contas da Parpública de 2019 com uma ênfase por causa da Covid-19

“A situação de crise de saúde pública que se vive nesta data em Portugal e no mundo irá seguramente provocar impactos sobre toda a economia, e portanto também sobre todas as empresas participadas e sobre a holding, os quais, são, nesta data, ainda impossíveis de caracterizar e quantificar”, dizem os auditores das contas da dona de 72,5% da TAP e da recente nacionalizada Efacec.

“Parpública, a demonstração dos  resultados por naturezas, a demonstração do resultado integral, a demonstração das alterações no capital póprio, a demonstração dos fluxos de caixa relativos ao ano findo naquela data, e o anexo às demonstrações financeiras que inclui um resumo das políticas significativas”, dizem os Auditores  CRC, SROC  – o Revisor Oficial de Contas.

Na opinião deste auditor, as demonstrações financeiras da Parpública, apresentam de “forma verdadeira e apropriada”, a posição financeira da Parpública.

No entanto as contas são aprovadas como uma ênfase. “A situação de crise de saúde pública que se vive nesta data em Portugal e no mundo irá seguramente provocar impactos sobre toda a economia, e portanto também sobre todas as empresas participadas e sobre a holding, os quais, são, nesta data, ainda impossíveis de caracterizar e quantificar, embora não se antecipe qualquer situação em que possa estar em causa a preservação dos principais equilíbrios da generalidade das empresas do Grupo Parpública e, muito menos, a sua continuidade”, diz a CRC – Colaço, Rosa, Coelho & Associados.

“No entanto, o acrescido nível de incerteza quanto ao futuro decorrente desta situação, implica a necessidade de reforçar todos os mecanismos de acompanhamento das participadas por parte da holding de modo a assegurar uma resposta atempada e eficaz a eventuais dificuldades, o que já foi feito”, concluem.

A Parpública é dona da posição do Estado na TAP que foi reforçada para 72,5% da TAP a troco do pagamento de 55 milhões de euros a David Neelman e também da Efacec, que acaba de ser nacionalizada.

 

Ler mais
Recomendadas

Lucros do Grupo Crédito Agrícola caem 33% no primeiro semestre para 50 milhões de euros

As imparidades constituídas de 391 milhões de euros penalizaram o resultado líquido consolidado do Crédito Agrícola no primeiro semestre de 2020.

Regulador aprova alteração de marca da EDP Distribuição para E-REDES

Em comunicado, o regulador refere que a alteração da imagem e denominação da gestora das redes de distribuição de energia “será implementada de forma gradual, por forma a assegurar a neutralidade de custos para os consumidores de eletricidade”.

Agência Espacial Europeia vai apoiar startups com um incentivo de 50 mil euros

Para além dos incentivos financeiros, as startups selecionadas também vão receber apoio técnico e empresarial, com o objetivo de ajudar no desenvolvimento dos seus negócios.
Comentários