Augusto Santos Silva frisa que “nada deve impedir” presidenciais na Guiné-Bissau

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, afirmou esta quarta-feira que “nada deve impedir” a realização das eleições presidenciais na Guiné-Bissau, que vão permitir “fechar um ciclo político” e criar estabilidade no país.

“Foram realizadas eleições legislativas, com uma participação altíssima da população guineense, foi constituído o parlamento, a assembleia nacional, foi constituído um governo, que governa, o programa desse governo foi aprovado na assembleia nacional e agora o próximo passo é a realização de eleições presidenciais”, disse Santos Silva à Lusa.

O governante português, num contacto telefónico, acrescentou: “Nada deve impedir que se realizem as eleições presidenciais, que se feche um ciclo político e possa haver, não só uma assembleia nacional e um governo, como também um presidente eleito. E isso criará condições de estabilidade política”.

O ministro salientou que “Portugal não tem outro interesse na Guiné-Bissau que não a estabilidade do país”, “condição necessária” da cooperação entre os dois países e do resultado benéfico dessa cooperação para o país africano.

As eleições presidenciais na Guiné-Bissau estão marcadas para 24 de novembro.

Na segunda-feira à noite, o primeiro-ministro guineense, Aristides Gomes, denunciou uma tentativa de golpe de Estado, envolvendo o candidato às presidenciais Umaro Sissoco Embaló, que reagiu qualificando a acusação de “mentira e calúnia”.

Na terça-feira, foi visível em Bissau o reforço da segurança, mas o dia decorreu com toda a normalidade.

Augusto Santos Silva falou à Lusa a partir de Oslo, onde esteve hoje para participar na conferência “Our Ocean” e para encontros políticos.

Ler mais
Recomendadas

André Ventura pede a demissão de Eduardo Cabrita por palavras “gravíssimas”

Para o deputado único do partido recém chegado ao parlamento, as declarações de Eduardo Cabrita foram “gravíssimas e desprovidas de sentido” e recordou que, “num primeiro momento”, o Governo chegou a “negar a veracidade” daquilo que tinha sido referido por André Ventura, ou seja, a aquisição de material de segurança por parte das forças policiais.

Só “por algum ato milagroso” relações serão retomadas entre Livre e Joacine, realça nova direção do partido

“Se por algum ato milagroso houver uma mudança de atitude por parte da deputada Joacine Katar Moreira obviamente que trabalharemos” com a única representante do partido no parlamento, afirmou Pedro Mendonça, em declarações aos jornalistas no final do IX Congresso do Livre.

“Desfaçatez e falta de respeito”. PSD repudia declarações de Eduardo Cabrita sobre equipamento da PSP

Em causa estão declarações do ministro numa entrevista hoje divulgada ao Diário de Notícias e à TSF, na qual Eduardo Cabrita é questionado sobre as notícias que dão conta de agentes policiais “que compram equipamento de proteção do seu próprio bolso”.
Comentários