PremiumAustralianos desistem do Banco Primus após 30 meses à espera de ‘OK’ do BCE

Pepper Group anunciou a compra em julho de 2017, mas depois de uma longa espera pelo ‘ok’ do Banco Central Europeu, desistiu.

Os australianos do Pepper Group desistiram de comprar o português Banco Primus ao grupo francês Crédit Foncier, ao fim de dois anos e meio à espera de autorização do Banco Central Europeu (BCE), apurou o Jornal Económico. O Crédit Foncier acordou a venda ao grupo Pepper, que atua no setor do crédito ao consumo, por 65 milhões de euros, em julho de 2017, mas ainda aguardava a autorização do BCE para concluir a operação de venda.

No final do ano passado, ao fim de mais de dois anos, ainda não estava completo o processo de instrução do pedido de autorização e os australianos continuavam a responder a pedidos adicionais do supervisor. Contactado, o Banco de Portugal não quis fazer comentários.

Em julho de 2017 o Pepper Group Limited anunciou que assinou um acordo para comprar 100% do banco português de consumer finance. Na altura, o grupo australiano previa obter a luz verde do Banco de Portugal e do BCE durante o primeiro trimestre de 2018, e esperava que o processo regulatório demorasse entre seis e nove meses.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumNovo Banco anuncia hoje prejuízo de cerca de mil milhões de euros em 2019

O Novo Banco apresenta hoje as contas que justificam a chamada de 1.037 milhões ao Fundo de Resolução. O banco teve prejuízos de cerca de mil milhões, mas o lucro recorrente é de 170 milhões.

PremiumComissões representam um terço das receitas dos bancos nacionais

Limitações propostas na cobrança de comissões podem levar a despedimentos na banca. Setor tem maior desequilíbrio na concorrência entre bancos e novos ‘players’ digitais na captação de clientes.

Aprovadas propostas do BE e PSD que proíbem comissões no processamento do crédito

Do BE, as propostas (uma para crédito ao consumo e outra para crédito à habitação) que proíbem os bancos de cobrarem comissões por processamento de prestações de crédito foram aprovadas com votos contra da Iniciativa Liberal, a abstenção de PS, PSD e CDS-PP e votos a favor das restantes bancadas.
Comentários