Australianos procuram ouro e prata na região do Minho

Fortescue Metals Group Exploration requereu a atribuição de direitos de prospeção e pesquisa de depósitos minerais, numa área denominada ‘Fojo’, localizada nos concelhos de Melgaço, Monção e Arcos de Valdevez.

A Fortescue Metals Group Exploration, uma empresa australiana especialista na produção de metal, requereu a atribuição de direitos de prospeção e pesquisa de depósitos minerais de ouro, prata, chumbo, zinco cobre, lítio, tungsténio, estanho e outros depósitos minerais ferrosos e minerais metálicos associados.

O pedido foi publicado esta quarta-feira em Diário da República, com a pesquisa a ser levada a cabo numa área denominada “Fojo”, localizada no concelho de Melgaço, Monção e Arcos de Valdevez, numa área total de 74.764 quilómetros quadrados.

Esta é a segunda vez no mês de março que requerimentos para a pesquisa de ouro, prata e outros tipos de minerais são feitos em Portugal, depois de no passado dia 4, a “Matsa A Mubadala & Trafigura Company”, uma empresa de fundos de investimento sediada nos Emirados Árabes Unidos, ter apresentado o mesmo tipo de pedido para uma  área denominada como “Portel”, localizada nos concelhos de Portel, Vidigueira, Serpa, beja, Cuba, Alvito e Viana do Alentejo.

Relacionadas

Árabes querem procurar ouro, prata e cobre no Alentejo

A empresa de fundo de investimentos “Matsa A Mubadala & Trafigura”, dos Emirados Árabes Unidos apresentou um requerimento para encontrar vários tipos de metais em vários concelhos daquela região.
Recomendadas

Hoje o dia é de chuva e vento. Temperaturas podem descer até aos 2 graus

O IPMA prevê no continente céu geralmente muito nublado, diminuindo de nebulosidade na região Sul a partir do início da manhã e aguaceiros, mais intensos no litoral Norte e Centro, podendo ser de granizo e acompanhados de trovoada.

Erro da Segurança Social tira anos de reforma a centenas de pescadores

Até 2011, os dias de trabalho para efeitos da pensão eram contabilizados com base nas descargas em lota (uma descarga era equivalente a três dias), mas, segundo o JN, a Segurança Social não está a cumprir a regra e só conta um dia.

Sócrates considera ministro brasileiro Moro “um ativista político disfarçado de juiz”

O antigo primeiro-ministro português referiu que o atual ministro brasileiro, enquanto juiz, validou “ilegalmente uma escuta telefónica” entre a então Presidente da República, Dilma Roussef, e o seu antecessor na chefia do Estado brasileiro, Lula da Silva.
Comentários