Avião da Cruz Vermelha Portuguesa já aterrou em Moçambique

A bordo seguiram 35 toneladas de ajuda humanitária, incluindo um hospital de campanha com sete módulos e geradores, mais 15 toneladas de medicamentos.

O avião da Cruz Vermelha Portuguesa já aterrou em Moçambique. O avião fretado pela instuição já aterrou na cidade da Beira carregado de ajuda humanitária, avança a RTP esta segunda-feira, 25 de março.

O Boeing 767 da Euro Atlantic partiu do aeroporto militar de Figo Maduro em Lisboa pelas 23:45 de domingo, com 20 médicos, enfermeiros e psicólogos da Cruz Vermelha Portuguesa e Médicos do Mundo.

A bordo seguiram 35 toneladas de ajuda humanitária, incluindo um hospital de campanha com sete módulos e geradores, mais 15 toneladas de medicamentos e também, a pedido do embaixador, 500 quilos de fibra ótica para comunicações, segundo a Cruz Vermelha. Esta operação contou com um total de 50 voluntários de diversas organizações.

Na madrugada esta segunda-feira aterraram em Lisboa os sete portugueses repatriados de Moçambique afetados pelo ciclone Idai, que provocou 447 vítimas mortais, com um total de 794 mil pessoas afetadas pelo ciclone Idai.

Segundo o Governo português não existem cidadãos portugueses entre as 447 vítimas mortais na sequência da passagem do ciclone Idai. “A boa notícia é que continuamos sem nenhum registo de portugueses entre as vítimas, que infelizmente, como sabem, são na ordem das centenas, registadas e confirmadas oficialmente”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros Augusto Santos Silva no aeroporto de Figo Maduro na madrugada de segunda-feira antes da chegada dos portugueses repatriados.

 

 

 

“Não morremos porque não calhou. Ficámos sem nada”. Sete portugueses repatriados de Moçambique já aterraram em Lisboa

Ler mais
Relacionadas

“Não morremos porque não calhou. Ficámos sem nada”. Sete portugueses repatriados de Moçambique já aterraram em Lisboa

O ciclone Idai afetou um total de 2,8 milhões de pessoas em Moçambique, Maláui e no Zimbabué. Só no país lusófono foram afetadas 531 mil pessoas, com 446 mortos registados.

Idai: Ainda há 12 portugueses por localizar na cidade da Beira

O secretário de Estado das Comunidades disse que muitos dos cidadãos foram viver para casa de familiares ou amigos o que dificulta a localização dessas pessoas.

Segundo avião C-130 com apoio português aterra em Moçambique

A aeronave da Força Aérea Portuguesa, com apoio português às operações de socorro às vítimas da passagem do ciclone Idai em Moçambique, aterrou este sábado na cidade da Beira pelas 10:30 (08:30 em Lisboa).

“Queremos comida”, gritam centenas na cidade da Beira após ciclone que atingiu Moçambique

O Idai, com fortes chuvas e ventos de até 170 quilómetros por hora, atingiu a Beira (centro de Moçambique) na quinta-feira à noite, deixando os cerca de 500 mil residentes na quarta maior cidade do país até hoje sem energia.

Portugal envia militares, médicos e equipa da proteção civil para Moçambique

O anúncio foi feito hoje, em Lisboa, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE), Augusto Santos Silva.
Recomendadas

Fogo em resolução em Vila de Rei e em 70% do território atingido em Mação

Num ‘briefing’ na Sertã, onde está instalado o posto de comando, pelas 20h00, o comandante operacional do Agrupamento Centro Norte, Pedro Nunes, disse aos jornalistas que nos restantes 30% de território atingido no concelho de Mação lavra ainda uma frente repartida.

Número de incêndios no centro histórico do Porto está estabilizado

O presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, quando questionado sobre o número de incêndios no centro histórico da ‘Invicta’ respondeu que “não é verdade que haja mais incêndios no centro histórico”, mas que “é evidente que alguns deles têm sido rodeados de uma atenção mediática que é absolutamente justificada”.

Autarcas são os “primeiros responsáveis pela proteção civil”, garante António Costa

O chefe do executivo referiu que “o Governo tem estado, desde a primeira hora, a acompanhar a situação desde sábado”, tanto ele próprio como o ministro da Administração Interna, o secretário de Estado da Proteção Civil, ou “as instituições do Estado sob a liderança da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil”.
Comentários