Banco Alimentar Contra a Fome recolheu mais de 2,1 toneladas de alimentos em dois dias

Os bens alimentares vão começar a ser distribuídos na próxima semana a 2.400 Instituições de Solidariedade Social, que posteriormente os entrega a perto de 380 mil pessoas com carências alimentares comprovadas.

Este passado fim de semana realizou-se mais uma ação dos Bancos Alimentares Contra a Fome juntos dos consumidores. Entre o dia 30 de novembro e 1 de dezembro, foram recolhidos mais de 2,1 toneladas de géneros alimentares, numa campanha que atingiu 21 regiões do país.

Com a ajuda de 40 mil voluntários na recolha e separação dos bens, ficou claro que os portugueses estão a aderir ao convite desta entidades, com a partilha de alimentos com as pessoas carenciadas de cada região. “Temos de agradecer aos milhares de doadores, aos voluntários, às empresas e entidades que apoiaram esta campanha, dando assim o seu grande contributo para que os Bancos Alimentares possam continuar a acudir a muitas pessoas necessitadas”, sublinhou Isabel Jonet, presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares contra a Fome.

Os bens alimentares vão começar a ser distribuídos na próxima semana a 2.400 Instituições de Solidariedade Social, que posteriormente os entrega a perto de 380 mil pessoas com carências alimentares comprovadas. Estes bens podem ainda ser distribuídos sob a forma de cabazes ou de refeições já confecionadas.

Dois milhões de portugueses em risco de pobreza 

De acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, mais de 2,2 milhões de cidadãos portugueses encontram-se em risco de pobreza ou de exclusão social, representando 21,6% da população. Caso se considerasse apenas os rendimentos do trabalho, de capital e de transferências privadas, cerca de 43,4% da população portuguesa estaria em risco de pobreza.

Distribuição no valor de 34 milhões de euros

A Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, liderada por Isabel Jonet, distribuiu 24.262 toneladas de alimentos no ano passado, num valor estimado de 34 milhões de euros. Segundo os dados da entidade, calcula-se que sejam movimentadas 97 toneladas de alimentos por cada dia útil.

Atualmente, existem 290 Bancos Alimentares europeus, que operam em 24 países. Em 2018, estas entidades distribuíram mais de 781 mil toneladas de alimentos, que são o equivalente a 4,3 milhões de refeições diárias. Tendo a parceria com 45.700 organizações sociais, foram beneficiados mais de 9,3 milhões de pessoas.

Relacionadas

Banco Alimentar recolhe mais de mil toneladas no primeiro dia de campanha

O Banco Alimentar contra a Fome recolheu mais de uma tonelada de alimentos no primeiro dia da campanha nacional que decorre este fim de semana em mais de duas mil superfícies comerciais.

Banco Alimentar recolheu 1.605 toneladas de alimentos no fim de semana

Este ano a campanha ficou marcada pela introdução de sacos de reutilizáveis.
Recomendadas

PRR serve “quem já está à mesa do Orçamento”, diz Viriato Soromenho-Marques

De acordo com o professor na Universidade de Lisboa, o Plano de Recuperação e Resiliência privilegia os grandes grupos económicos: “Essas pessoas não precisam de nenhum partido, já lá está o partido que lhes serve os interesses, já está instalado”.

Milhões da Europa começam a chegar este ano para o hidrogénio verde

O Plano de Recuperação e Resiliência vai começar a distribuir apoios já este ano e vai ser lançado um leilão para atribuir apoios. Várias empresas estão já a trabalhar para desenvolver um ‘cluster’ industrial de H2 verde de Sines.

Portugal terá a ganhar com acordo tributário global, diz ministro das Finanças

João Leão ressalva, contudo, ser “prematuro retirar consequências diretas para Portugal” deste compromisso, uma vez que este dependerá da forma como a criação de uma taxa mínima global sobre os lucros daquelas empresas e a atribuição de direitos fiscais aos países onde as empresas operam e não apenas onde estão sedeadas se irão articular e também de questões que precisam ainda de ser consensualizadas.
Comentários