Banco Angolano de Investimentos aliena participações sociais na Griner e Novinvest por 13 milhões

Estas operações inserem-se na estratégia de separação de atividade financeiras e não financeiras do grupo BAI, permitindo, simultaneamente, a criação e desenvolvimento de grupos não financeiros angolanos que contribuam para o crescimento do país.

O Banco Angolano de Investimentos (BAI) vai alienar 72,6% e 51% das suas participações no capital social da Griner Engenharia e da Novinvest SA, pelo valor de 10 mil milhões de kwanzas (13 milhões de euros), foi esta quarta-feira anunciado.

Num comunicado, o BAI, participado pela petrolífera angolana Sonangol, refere que as participações sociais detidas, direta e indiretamente, nas duas empresas serão alienadas através de uma operação de venda das ações aos quadros de gestão (operação financeira conhecida por ‘management buyout’) da sociedade Griner Engenharia SA, pelo montante de 10 mil milhões de kwanzas (13.086.800 euros).

A Griner Engenharia é uma sociedade angolana de engenharia e construção de edifícios e infraestruturas, com atividade em quatro países africanos, onde o grupo BAI detinha uma participação de 82,6%, passando agora a deter 10% da sociedade.

Já a Novinvest trata-se de uma sociedade participada em 49% pela Griner Engenharia SA e em 51% pelo Grupo BAI, para o desenvolvimento e gestão de participações, e de atividades complementares da cadeia de valor da construção, como indústria de materiais de construção, concessões, serviços especializados e imobiliário.

De acordo com a nota, estas operações inserem-se na estratégia de separação de atividade financeiras e não financeiras do grupo BAI, permitindo, simultaneamente, a criação e desenvolvimento de grupos não financeiros angolanos que contribuam para o crescimento do país.

O BAI, um dos maiores bancos privados em Angola, tem operações em Portugal e Cabo Verde, bem como uma participação minoritária no Banco Internacional de São Tomé e Príncipe.

Recomendadas

Portugal concede terceira moratória a Cabo Verde para o pagamento da dívida

O anúncio foi feito esta pelo Governo que aprovou uma nova suspensão do pagamento do serviço da dívida por parte da República de Cabo Verde, relativa aos empréstimos diretos concedidos.

Governo de Cabo Verde reduz IVA de 15% para 8% com renúncia fiscal de 5,5 milhões de euros 

O país vai ainda reforçar o quadro institucional e regulatório por forma a garantir previsibilidade e maior estabilidade às tarifas de eletricidade e água, evitando grandes flutuações de aumentos e de reduções,

Cabo Verde pede conversão de dívida externa em fundos climáticos

Olavo Correia explicou que a conversão da dívida pública externa servirá, na proposta em cima da mesa, para financiar projetos nas energias renováveis, no acesso à água e à energia, na economia circular e em “todas as matérias” relacionadas com a resposta às alterações climáticas.
Comentários