Banco Caixa Geral Espanha passa para o Abanca a 14 de outubro

A transferência da propriedade da empresa culmina um processo iniciado em novembro de 2018, quando o Governo português escolheu o Abanca para a venda da filial da CGD.

Foto Cedida

A filial da Caixa Geral de Depósitos (CGD) em Espanha passa a ser propriedade do espanhol Abanca em 14 de outubro, dia em que decorre a assembleia-geral extraordinária de acionistas para aprovar uma nova administração.

Em comunicado publicado na página do Banco Caixa Geral (filial em Espanha da CGD) convoca os acionistas da instituição para uma reunião, em Vigo, na Galiza, em 14 de outubro para, entre outros pontos, fazer a “aceitação da demissão e/ou cessação de administradores” e “nomeação de [novos] conselheiros”.

A transferência da propriedade da empresa culmina um processo iniciado em novembro de 2018, quando o Governo português escolheu o Abanca para a venda da filial da CGD.

A assembleia-geral extraordinária é convocada depois de na última segunda-feira o Abanca ter recebido a ‘luz verde’ do Banco Central Europeu (BCE) para finalizar a compra da filial do banco português.

Segundo o banco espanhol, a “autorização [do BCE] permitirá acelerar a fusão entre as duas entidades”.

De acordo com o calendário previsto, a integração informática, jurídica e financeira das duas entidades deverá ser realizada “no primeiro trimestre de 2020”.

A entidade bancária espanhola revelou que através da integração do Banco Caixa Geral, o Abanca irá adicionar um volume de negócios de 7.000 milhões de euros e 131.000 clientes.

A instituição vai pagar 364 milhões de euros pela aquisição do Banco Caixa Geral à CGD.

A venda do Banco Caixa Geral, em Espanha, irá ter um impacto positivo de 135 milhões nos resultados do primeiro semestre e nos capitais consolidados da Caixa Geral de Depósitos (CGD), revelou na segunda-feira o banco português.

“Deste modo, o resultado líquido com referência a 30 de junho de 2019 será de 417,5 milhões de euros. Neste cenário o rácio CET1 passa de 14,8% para 15,1%”, indicou o banco público.

O banco adiantou que a aprovação do BCE da venda de 99,79% da filial espanhola ao Abanca “conclui o processo de aprovação, por parte das autoridades competentes, da venda daquela subsidiária, do qual tinha sido dado nota na comunicação ao mercado efetuada pela CGD em novembro de 2018”.

Ler mais
Recomendadas

Parlamento ouve hoje presidente do Fundo de Resolução sobre nova injecção no Novo Banco

Luís Máximo dos Santos vai nesta quarta-feira, 26 de fevereiro, à Assembleia da República esclarecer as questões levantadas pelo Bloco de Esquerda relativas a uma “perspetiva de nova e relevante injeção de dinheiro do Estado”. Bloquistas querem ainda saber o acompanhamento que tem sido feito de todos os processos de venda de crédito malparado.

Acusação a Ricardo Salgado está parada devido a questões processuais

O processo em que o Banco de Portugal investiga o papel de Ricardo Salgado na sociedade criada para financiar o “buraco” no Grupo Espírito Santo está “preso” porque ainda não levantado o sigilo profissional de um advogado. Ordem dos Advogados tem palavra decisiva.

Comissões arrecadadas pelos bancos subiram 40 milhões de euros e superaram 1.500 milhões em 2019

O parlamento debate esta quinta-feira 11 propostas de Bloco de Esquerda, PCP, PS, PAN e PSD sobre comissões bancárias, como limitar as comissões cobradas pelos bancos em meios de pagamento como MB Way, em declarações relacionadas com contratos de créditos e alterações unilaterais de contratos de crédito.
Comentários