Banco de Portugal: Dívida emitida por empresas em 2018 ascendeu a 34,1 mil milhões

O saldo de títulos de dívida emitidos por Sociedades não Financeiras no fim de dezembro de 2018 ascendeu a 34.118 milhões de euros, aumentando 725 milhões de euros face ao mês anterior e registando uma variação homóloga de 0,6%.

Em 2018, o saldo de títulos de dívida emitidos por Sociedades não Financeiras ascendeu a 34.118 milhões de euros, aumentando 725 milhões de euros face ao mês anterior e registando uma variação homóloga de 0,6%, segundo a nota estatística de Emissões de Títulos de Dívida em 2018 do Banco de Portugal.

As emissões líquidas de títulos de dívida por Sociedades não Financeiras atingiram, só no mês de dezembro, o valor de 725 milhões de euros (-251 milhões de euros registados no mês anterior), diz a nota.

Em dezembro de 2018, as emissões líquidas de títulos de dívida por residentes ascenderam a 1.170 milhões de euros, o que compara com um valor de -1.156 milhões de euros registado no mês anterior.

No final de dezembro de 2018, o saldo total de títulos de dívida emitidos por residentes ascendeu a 283.385 milhões de euros, aumentando 1.577 milhões de euros face ao mês anterior e registando uma variação homóloga de 1,7%.

 

Recomendadas

Prepare a carteira. Vem aí (mais) um aumento nos combustíveis

A partir de segunda-feira, os combustíveis ficam novamente mais caros. Aumento é maior na gasolina, tanto nas cadeias de marca branca, como nas principais gasolineiras.

Dia da Propriedade Intelectual: Criei uma marca. O que posso fazer para a registar?

Os advogados do departamento de TMT & Propriedade Intelectual da sociedade CCA explicam o que fazer para registar uma marca. O primeiro passo? Verificar se preenche determinados requisitos para que o seu registo seja concedido. Comemora-se esta sexta-feira o Dia Mundial da Propriedade Intelectual.

Caixa Geral está a vender Mercedes para atingir metas da recapitalização

Campanha de crédito “imbatível” está a chegar por email a clientes. Banco justifica com metas “extremamente exigentes”. E diz que não está a promover o endividamento, pois clientes acederiam na mesma a outras opções de financiamento do mercado.
Comentários