Banco de Portugal quer rever regras sobre governo e controlo interno de bancos

O supervisor vai rever as regras de governo e sistemas de controlo interno nos bancos, incluindo práticas remuneratórias, tendo até 23 de março em consulta pública dois projetos regulamentares.

O Banco de Portugal (BdP) vai rever as regras de governo e sistemas de controlo interno nos bancos, incluindo práticas remuneratórias, tendo até 23 de março em consulta pública dois projetos regulamentares.

Segundo o BdP, atualmente as regras que os bancos têm de cumprir estão nos avisos n.º 10/2011 sobre as regras que regem as remunerações e n.º5/2008 sobre sistema de controlo interno, considerando que é necessário rever estes regulamentos para levar em conta as melhores práticas e as “lições” que dos últimos anos permitiu retirar.

“Ainda que estes diplomas tenham antecipado, de forma substancial, muitos dos requisitos que vieram posteriormente a ser fixados a nível internacional, justifica-se rever o Aviso n.º 5/2008 e o Aviso n.º 10/2011 para convergir com esta evolução regulatória, mas também para incorporar as lições retiradas da experiência adquirida com a sua aplicação e as melhores práticas internacionais”, refere a informação hoje divulgada.

O BdP diz, especificamente, querer substituir o atual relatório de controlo interno por um relatório de autoavaliação, considerando que isso torna mais “explícita a responsabilidade das instituições relativamente às matérias em causa, assegurando que promovem uma reflexão efetiva sobre a adequação dos sistemas implementados face às suas necessidades concretas”.

Na informação hoje divulgada, a instituição liderada por Carlos Costa pede a participação dos bancos e de associações do setor na consulta pública, até 23 de março, do projeto de aviso relativo a cultura organizacional, governo interno, sistema de controlo interno e políticas e práticas remuneratórias e do projeto de instrução sobre matérias tratadas no projeto de aviso.

Recomendadas

António Domingues demite-se da vice-presidência do BFA

António Domingues escreveu uma carta ao Banco Nacional de Angola (BNA) a dar conhecimento dos motivos da sua demissão da vice-presidência da BFA.

Bankinter lança conta para bancarizar crianças

“Com este lançamento, o Bankinter tem ainda o objetivo de contribuir, em conjunto com os pais, para a autonomia e responsabilidade financeiras dos jovens”, refere o comunicado.

João Rendeiro, ex-presidente do BPP condenado a 5 anos e 8 meses de prisão

A notícia está a ser avançada pela SIC. A decisão do Tribunal da Relação condena João Rendeiro, ex-presidente do Banco Privado Português a uma pena efetiva de prisão de cinco anos e oito meses. Paulo Guichard, ex-administrador do BPP foi condenado a prisão efectiva de quatro anos e oito meses. O caso do banco vocacionado para a gestão de fortunas rebentou em 2008.
Comentários