Bancos estão a recusar empréstimos a estudantes cujo fiador é o Estado

Os bancos estão a recusar empréstimos a estudantes cujo fiador é o Estado, avança o jornal Público esta quarta-feira, 7 de agosto. No espaço de seis meses, mais de 500 alunos recorrem a esta linha de crédito bonificado para pedir 5,5 milhões de euros aos bancos. Mas nem todos conseguiram obter empréstimos, tal como no […]

Os bancos estão a recusar empréstimos a estudantes cujo fiador é o Estado, avança o jornal Público esta quarta-feira, 7 de agosto. No espaço de seis meses, mais de 500 alunos recorrem a esta linha de crédito bonificado para pedir 5,5 milhões de euros aos bancos.

Mas nem todos conseguiram obter empréstimos, tal como no caso de Joana Martins, 20 anos, estudante de enfermagem. “Solicitaram-me vários documentos, alguns dos quais acarretaram custos, mas entreguei tudo. Contudo, ao fim de 10 dias, o banco comunicou-me que o crédito teria sido recusado, com a justificação de que eu não apresentava rendimentos”, contou Joana Martins ao Público.

O Governo foi apanhado de surpresa com esta situação, levando o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) a questionar a Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua (SPGM), entidade que gere o processo.

A própria Federação Académica de Lisboa revelou ter tido já o conhecimento de “vários casos” semelhantes.

Estes empréstimos podem ter um montante máximo de 30 mil euros, sem nunca ultrapassar os cinco mil euros por ano que são disponibilizados em tranches mensais de valor igual nas contas dos alunos.

Recomendadas

Banco de Portugal vai sujeitar diretores do risco, compliance e auditoria ao ‘Fit & Proper’

Está em consulta pública até ao final de março um projeto de alteração de Aviso do Banco de Portugal que vai rever os requisitos aplicáveis em matéria de governo interno dos bancos. Entre as principais novidades introduzidas pelo regulador, destaca-se o alargamento do processo de avaliação e adequação diretores do risco, de compliance e de auditoria interna, e um relatório anual de autoavaliação dos bancos sobre o cumprimento das regras de controlo interno.

PSD junta-se à esquerda para limitar cobrança de comissões bancárias

A medida consta de um projeto de lei entregue pelos social-democratas na Assembleia da República, que prevê que os primeiros cinco movimentos mensais feitos através da MB Way bem como a emissão do distrate no final do contrato de crédito sejam gratuitos.

Carlos Costa quer mais controlo sobre clientes de risco e aperta cerco à gestão dos grandes devedores

O Banco de Portugal definiu que as políticas de cada banco terão de ser entregues até ao dia 30 de junho.
Comentários