Bancos passam a comunicar contas PPR ao fisco

Até agora, estas contas estavam excluídas de reporte ao fisco, sendo uma exceção constante do regime de troca automática de informações financeiras com a Autoridade Tributária e Aduaneira.

Os bancos vão passar a ter de comunicar ao fisco as contas de clientes relativas a Planos de Poupança Reforma (PPR), segundo o diploma publicado esta sexta-feira, dia 19, em Diário da República.

Até agora, estas contas estavam excluídas de reporte ao fisco, sendo uma exceção constante do regime de troca automática de informações financeiras com a Autoridade Tributária e Aduaneira, publicado em 2016.

Este regime permite a exclusão de comunicação ao fisco de contas bancárias em que se considere, desde logo, haver baixo risco de serem utilizadas para evasão fiscal.

A portaria, agora publicada, elimina desse grupo as contas associadas aos Planos Poupança-Reforma, obrigando a que a partir de agora os bancos passem informações sobre estes produtos bancários ao fisco.

“Decorrido mais de um ano desde a publicação da Portaria n.º 302-B/2016, de 02 de dezembro, que aprovou as primeiras ‘Listas de instituições financeiras não reportantes e de contas excluídas’ foi realizado o exercício de reavaliação e atualização já então previsto, pelo que importa rever a ‘Lista das contas excluídas’, pondo fim ao reconhecimento do estatuto de ‘contas financeiras excluídas’ atribuído aos Planos Poupança-Reforma”, lê-se na portaria publicada em Diário da República.

Nas contas que continuam excluídas da troca automática de informações entre bancos e fisco estão “as contas preexistentes que não sejam contratos de renda, cujo saldo anual não exceda 1.000 dólares, desde que sejam qualificáveis como contas inativas”.

Ler mais
Recomendadas

Banco Montepio passa de lucros a prejuízos de 15,9 milhões de euros no primeiro trimestre

De acordo com um comunicado enviado pelo banco à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a instituição que pertence à Associação Mutualista Montepio refere que para o resultado foi “determinante (…) a obtenção de menores ganhos com transações de títulos relevados na rubrica de Resultados de operações financeiras”.

“Maquiavel para Principiantes”. “Luís Filipe Vieira parece que funcionava como testa de ferro de Ricardo Salgado”

“Amnésia rima com impunidade. Sabem que são os portugueses que pagam os seus calotes e vai continuar o gozo. Luís Filipe Vieira parece que funcionava como testa de ferro de Ricardo Salgado”, destacou Rui Calafate no podcast do JE.

Sindicato dos Quadros cancela manifestação para iniciar diálogo com Santander

“Na sequência dos contactos mantidos nas últimas horas, que perspetivam o relançamento do diálogo com o Banco Santander, o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) decidiu cancelar a manifestação agendada para hoje em Faro”, diz o sindicato liderado por Paulo Gonçalves Marcos.
Comentários