Bankinter assina acordo com BEI para linha de financiamento a PME

A nova linha destina-se a todos os sectores de actividade, para Pequenas e Médias Empresas Autónomas (PMEs) com menos de 250 empregados, ou para Empresas de Capitalização Média com mais de 250 e menos de 3.000 empregados.

O Bankinter assinou um acordo com o  BEI para um empréstimo de 300 milhões de euros, destinado a facilitar o financiamento de investimentos a Pequenas e Médias Empresas em Portugal e Espanha.

A nova linha destina-se a todos os sectores de actividade, para Pequenas e Médias Empresas Autónomas (PMEs) com menos de 250 empregados, ou para Empresas de Capitalização Média com mais de 250 e menos de 3.000 empregados.

Segundo o Bankinter, esta é uma linha de financiamento que permite que as empresas disponham de condições mais vantajosas, tanto em termos de condições de pagamento, como de taxas de juros, para desenvolver seus projetos.

A nota de imprensa do banco revela que “a nova linha Bankinter-Banco Europeu de Investimento  destina-se a financiar a aquisição, renovação ou extensão de activos corpóreos (que permite a aquisição de usados); o investimento em activos incorpóreos; a sucessão intergeracional (que consiste na cessão/transmissão de empresas a fim de garantir a continuidade da actividade económica da empresa – limitado a casos em que tanto comprador como o transmitente sejam PME e o valor não seja superior a 1 milhão de euros); e o apoio à tesouraria com financiamento de capital circulante a médio longo prazo, para apoio às obrigações derivadas do círculo comercial da empresa”.

“O lançamento desta linha de financiamento, que permite responder a necessidades específicas de Pequenas e Médias Empresas, é exemplo do nosso investimento na economia e nas empresas em Portugal”, refere Alberto Ramos, Country Manager do Bankinter Portugal no comunicado.

Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em créditos problemáticos até fim do ano

O Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em crédito malparado até ao final do ano, segundo disse o presidente executivo, António Ramalho, à agência de informação financeira Bloomberg.
Comentários