Bankinter Consumer Finance lança cartão de crédito em parceria com a Vodafone

A Bankinter Consumer Finance reforçou a sua oferta de cartões co-branded em Portugal. No seguimento dos cartões já desenvolvidos em parceria com a Mapfre e o FC Porto, surge agora o Vodafone bankintercard.

Cristina Bernardo

O Bankinter Consumer Finance, filial de crédito ao consumo do Grupo Bankinter, lançou um cartão de crédito em parceria com a Vodafone Portugal que dá benefícios aos clientes da operadora de telecomunicações, nomeadamente uma redução de  até 10% do valor da fatura mensal de comunicações.

O Vodafone bankintercard é um cartão de crédito com anuidade gratuita e com um cashback de 10% sobre o valor da fatura mensal de comunicações dos Clientes pós-pagos da Vodafone.

“A associação entre o Bankinter Consumer Finance e a Vodafone Portugal representa uma inovadora ligação entre os sectores bancário e o das comunicações no mercado português e resulta na oferta de uma solução de crédito com claros benefícios para os Clientes aderentes”, diz a instituição financeira em comunicado.

Segundo a nota, o montante devolvido, até um máximo de cinco euros mensais, será creditado diretamente no cartão de crédito.

A campanha, exclusiva para Clientes Vodafone, tem a duração de 3 anos, exige que o cliente  use o cartão numa compra por mês e ter o pagamento das faturas de comunicações atualizado.

“Para aderir a este cartão não é necessário abrir conta no Bankinter ou mudar de banco, uma vez que os pagamentos podem ser feitos por débito direto em qualquer instituição bancária”, diz o comunicado.

“Com este novo cartão de crédito, desenvolvido em parceria com a Vodafone Portugal, o Bankinter, através do Bankinter Consumer Finance, reforça a sua oferta de cartões co-branded em Portugal. No seguimento dos cartões já desenvolvidos em parceria com a Mapfre e o FC Porto, bem recebidos pelos seus Clientes e simpatizantes, criámos agora com a Vodafone Portugal um cartão de crédito inovador no mercado das telecomunicações e com muitas vantagens para os Clientes Vodafone”, refere António Seixas, Diretor do Bankinter Consumer Finance Portugal, acrescentando que “o processo de contratação é feito remotamente, sem que o Cliente necessite de se deslocar a uma agência bancária, o que é uma mais-valia no panorama atual e face às necessidades dos consumidores em geral”.

Recomendadas

PremiumMário Palhares: “BNI e Finibanco Angola continuam empenhados em encontrar uma solução”

O processo de venda do Finibanco Angola a Mário Palhares do Banco BNI, acordado em 2015, acabou. Mas o CEO do banco angolano garante ao JE que o BNI e o Finibanco continuam empenhados em encontrar uma solução.

Hélder Rosalino reconduzido no Banco de Portugal com efeitos retroativos a 2019

Hélder Rosalino tem menos de três anos pela frente na administração do Banco de Portugal porque o Governo reconduziu o ex-governante social democrata, mas com efeitos retroativos a setembro de 2019. O mandato dos administradores do banco central são de cinco anos.

Fitch admite que o malparado dos bancos portugueses vai aumentar em 2022

Rafael Quina antevê que o malparado decorrente de 18 meses de moratória se vai fazer sentir especialmente em 2022. O analista disse ainda que há espaço para aumentar a consolidação bancária o que “ajudaria a melhorar os modelos de negócio da banca portuguesa, no sentido de  aumentar a resiliência e a rentabilidade”. Mas ainda há barreiras a derrubar.
Comentários