Bankinter Portugal tem 400 imóveis em carteira por incumprimento de crédito

Em Portugal, a carteira de execução de hipotecas por incumprimento de crédito é de 400 imóveis, quase exclusivamente residenciais, num valor que ronda 40 milhões, ou seja, 10% do valor consolidado.

O Bankinter explicou que a sua carteira de ativos imobiliários hipotecados experimentou “uma redução significativa”, no final de 2017, para um valor bruto total de 411,6 milhões de euros (111,9 milhões menos que há um ano atrás), dos quais 44% são imóveis residenciais. A cobertura de execuções hipotecárias é de 45,2%, esclareceu ainda a instituição.

Em Portugal, a carteira de execução de hipotecas por incumprimento de crédito é de 400 imóveis, quase exclusivamente residenciais, num valor que ronda 40 milhões, ou seja, 10% do valor consolidado.

Em Portugal, o rácio de NPL (malparado) ficou em 7,5%, baixando 1 ponto percentual face a 2016. Atualmente, este indicador soma 392 milhões de euros.

Relacionadas

Bankinter vai emitir dívida regulatória até 500 milhões no segundo semestre

O Bankinter vai emitir até 500 milhões de euros no segundo semestre, mas ainda não sabe que tipo de instrumento de dívida será emitida. Mas terá sempre de ser dívida subordinada, com elevados juros.

Bankinter Portugal cresce 21% no crédito às empresas

O banco espanhol que tem uma sucursal em Portugal teve em 2017 lucros de 495 milhões de euros +1% do que em 2016, mas se não fosse a atividade em Portugal teria subido os lucros em 20%.

Lucro do Bankinter sobe 1%, para recorde de 495 milhões de euros

No primeiro exercício completo em que os seus resultados são consolidados no grupo, o Bankinter Portugal contribuiu, em termos líquidos, com 22,9 milhões de euros para o lucro do grupo.
Recomendadas

BPI suspende dividendos de 13 milhões até outubro

“Perante as circunstâncias atuais o Banco BPI e o CaixaBank decidiram suspender o pagamento do referido dividendo, o qual apenas terá lugar em outubro de 2021”, lê-se no comunicado.

PremiumBanco de Portugal admite não recorrer da decisão judicial no Banco Montepio

A sentença do recurso que o Banco Montepio e sete ex-administradores interpuseram às coimas aplicadas em 2019 pelo Banco de Portugal, agradou a gregos e a troianos, ao supervisor e arguidos.

Presidente do BPI diz que é preciso “encontrar soluções para moratórias agora, não em setembro”

O presidente do BPI diz encarar com “estranheza” o interesse do Novo Banco no Eurobic e defende que “não devíamos falar em setembro, mas sim agora” sobre o tema das moratórias.
Comentários