Bayer visada por 18.400 processos judiciais nos Estados Unidos contra o glifosato

O grupo químico e farmacêutico alemão Bayer prepara-se para enfrentar 18.400 processos judiciais apresentados nos Estados Unidos contra o herbicida com glifosato da filial Monsanto.

Até final de abril, 13.400 processos já tinham sido apresentados, indicou o grupo, sublinhando que o número agora atualizado de pedidos se refere a 11 de julho.

A Bayer foi já condenada três vezes a indemnizar requerentes californianos doentes com cancro, mas os montantes foram fortemente reduzidos no segundo exame dos casos por um juiz de 289 milhões de dólares (cerca de 260 milhões de euros) para 78 milhões, de 80 milhões para 25 milhões e de mais de dois mil milhões para 69,3 milhões de dólares, respetivamente.

O grupo indicou que pretende recorrer para contestar o princípio da responsabilidade, sublinhando, há meses, que nenhum regulador do mundo concluiu que o glifosato era perigoso, desde que foi introduzido no mercado em meados dos anos 1970.

O inventor alemão da aspirina fez, no ano passado, a maior aposta da história ao adquirir a Monsanto por 63 mil milhões de dólares, recorrendo cada vez mais à química para alimentar um planeta cada vez mais povoado e perturbado pelo aquecimento climático.

Recomendadas

Movimento nos aeroportos portugueses sobe 2,3% até setembro para 15,2 milhões de passageiros

O número de passageiros que passou pelos aeroportos portugueses aumentou, em termos homólogos, em 2,3%, para 15,2 milhões até setembro, adiantou em comunicado a Vinci, que detém a ANA – Aeroportos de Portugal.

Matos Fernandes descarta medidas adicionais para atenuar subida dos preços da energia

O Ministro do Ambiente e Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, disse esta sexta-feira que “não vai haver necessidade” de falar de medidas adicionais para atenuar a subida dos preços da eletricidade “nos meses mais próximos”.

Galp: “Evento na Unidade de Destilação Atmosférica de Sines” não teve impacto no abastecimento do mercado português

“Seguindo os protocolos de segurança, a Empresa parou a operação da DAT que, após o seu arranque, é esperado que opere com taxas de utilização mais reduzidas durante algumas semanas”, anuncia a Galp.
Comentários