BCE pede aos bancos que evitem “distorcer” resultados de testes de stress

A cada dois anos, a Autoridade Bancária Europeia e o BCE realizam os chamados testes de stress a 50 bancos da União Europeia para medir a força das entidades bancárias em diferentes cenários de stress, como uma crise, por exemplo.

Armando Babani/EPA via Lusa

O Banco Central Europeu (BCE) quer que os bancos da União Europeia evitem distorcer os resultados dos testes de stress realizados durante o ano de 2020 e quer que nenhuma instituição bancária compare os resultados desses testes com os seus concorrentes.

De acordo com o jornal espanhol “Expansión”, o supervisor da banca comunitária enviou uma carta aos bancos a pedir que não partilhem dados com a concorrência, por via de empresas de consultadoria externa ou através de projeções de resultados.

Para a instituição liderada por Christine Lagarde a troca de informação sobre dados preliminares ou estimativas de consultoras pode “distorcer” os resultados dos testes de stress.

A cada dois anos, a Autoridade Bancária Europeia e o BCE realizam os chamados testes de stress a 50 bancos da União Europeia para medir a força das entidades bancárias em diferentes cenários de stress, como uma crise, por exemplo.

Recomendadas

PremiumVenda do BNI Europa aguarda fecho das contas de 2019

Negócio deverá ficar fechado no primeiro trimestre de 2020. O banco apesenta contas anuais em março.

PremiumBCP quer reduzir malparado para 3 mil milhões em 2021

O BCP lucrou 302 milhões em 2019, à custa de mais-valias em dívida portuguesa. A redução do 1,3 mil milhões de NPE foi a boa notícia.

Banco de Portugal quer rever regras sobre governo e controlo interno de bancos

O supervisor vai rever as regras de governo e sistemas de controlo interno nos bancos, incluindo práticas remuneratórias, tendo até 23 de março em consulta pública dois projetos regulamentares.
Comentários