BCP e CTT penalizam bolsa de Lisboa no fecho da sessão

É a quarta sessão consecutiva de perdas para o principal índice bolsista nacional. “A tendência atual de aparecimento de novos casos de coronavírus continua a preocupar os mercados”, explica Ramiro Loureiro, analista do BCP.

As bolsas da Europa encerraram a sessão desta terça-feira com rumos distintos. O principal índice bolsista português, PSI-20, foi um dos que terminou as negociações em baixa, com uma queda de 0,87%, para os 4.121,94 pontos, perfazendo a quarta sessão consecutiva de perdas.

“As declarações do presidente da Fed, Jerome Powell, de que a recuperação económica é altamente incerta parecem não ter agradado aos investidores, a avaliar pelo comportamento negativo dos principais índices de Wall Street após a comunicação”, esclarece Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp, numa nota de mercado.

Em Portugal, as principais cotadas a penalizar a bolsa foram o BCP, que caiu 1,95% para 0,08 euros, a EDP – Energias de Portugal, que resvalou 1,41% para 4,12 euros, e os CTT – Correios de Portugal, cujos títulos tombaram 2,04% para 2,40 euros.

A operadora de telecomunicações NOS perdeu 1,62%, para 3,04 euros, numa tarde em que o presidente da Anacom, João Cadete de Matos, apresentou a previsão de que 90% do território das freguesias rurais tenha rede de telemóvel de banda larga (4G) dentro de cinco anos.

Os analistas do Bankinter antecipavam uma recuperação das bolsas ao longo do dia, o que acabou por acontecer nalgumas praças, como a de Frankfurt e a de Londres. “Depois de um dia chuvoso, o sol volta a aparecer”, escrevem. “Os mercados descansam de vez em quando para respirar: estas pausas são tanto uma necessidade, como uma oportunidade para refletir sobre a estratégia a aplicar, e caso o façamos vemos que fundamentais são positivos e que a macro apoia os mercados”, referem ainda, em research de mercado.

Observando a performance dos demais índices europeus, denota-se que o alemão DAX subiu 0,41%, o francês CAC 40 deslizou 0,40%, o britânico FTSE 100 avançou 0,49%, o holandês AEX somou 0,89%, o espanhol IBEX 35 recuou 0,65% e o italiano FTSE MIB valorizou 0,60%. O Euro Stoxx 50 ficou marcado por uma valorização de 0,10%.

“No ‘Velho Continente’, o facto de o setor de viagens e lazer ter sido dos mais castigados revela a preocupação de que a tendência atual de aparecimento de novos casos de coronavírus continua a preocupar os mercados”, clarifica o analista do BCP.

Os eventos macroeconómicos mais relevantes começarão amanhã (PMI).

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 penalizado pelos prejuízos da Galp no arranque da sessão

O PSI 20 acompanha também a tendência das principais congéneres europeias, numa altura em que o número de infetados com o novo coronavírus continua a aumentar na Europa.

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

A semana será marcada pela discussão e votação na generalidade do Orçamento do Estado para 2021. Os analistas e investidores estarão ainda atentos à reunião do Banco Central Europeu e aos sinais que chegam sobre a economia, através da publicação da estimativa rápida do PIB da zona euro, do terceiro trimestre.

Preço do petróleo mantém-se baixo para além de 2021, considera Banco Mundial

“Os preços do petróleo devem aumentar muito gradualmente face aos níveis atuais e chegar a uma média de 44 dólares em 2021, subindo face aos estimados 41 dólares por barril este ano, num contexto de uma recuperação lenta da procura e um abrandamento nas restrições à oferta”, lê-se no relatório sobre a evolução das matérias-primas.
Comentários