BCP, Galp e CTT penalizam PSI 20, que acompanha Europa no vermelho

Entre as 18 empresas cotadas do PSI 20 apenas a Jerónimo Martins (0,25%) negoceia em terreno positivo. Há duas cotadas a negociar sem variação.

O principal índice bolsista português (PSI 20) perde 0,49%, para 4068,63 pontos, em linha com as principais praças europeias esta terça-feira, 29 de setembro.

No ‘Velho Continente’, o alemão DAX cai 0,43%, o francês CAC recua 0,18%, o espanhol IBEX quebra 0,48% e o britânico FTSE regride 0,24%, com os investidores a gerirem a informação de que registam-se hoje mais de um milhão de mortes provocadas pela pandemia da Covid-19, o que coloca pressão sobre as expetativas de recuperação de económica.

Em Portugal, o PSI 20 é penalizado pelas quebras de BCP (-1,09%), Galp (-1,21%) e CTT (-1%). Destaque, ainda, para o tombo papeleira Altri (-1,73%) e da construtora Mota-Engil (-2,03%).

Entre as 18 empresas cotadas do PSI 20 apenas a Jerónimo Martins (0,25%) negoceia em terreno positivo. Há duas cotadas a negociar sem variação.

Recomendadas

PSI 20 penalizado pelos prejuízos da Galp no arranque da sessão

O PSI 20 acompanha também a tendência das principais congéneres europeias, numa altura em que o número de infetados com o novo coronavírus continua a aumentar na Europa.

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

A semana será marcada pela discussão e votação na generalidade do Orçamento do Estado para 2021. Os analistas e investidores estarão ainda atentos à reunião do Banco Central Europeu e aos sinais que chegam sobre a economia, através da publicação da estimativa rápida do PIB da zona euro, do terceiro trimestre.

Preço do petróleo mantém-se baixo para além de 2021, considera Banco Mundial

“Os preços do petróleo devem aumentar muito gradualmente face aos níveis atuais e chegar a uma média de 44 dólares em 2021, subindo face aos estimados 41 dólares por barril este ano, num contexto de uma recuperação lenta da procura e um abrandamento nas restrições à oferta”, lê-se no relatório sobre a evolução das matérias-primas.
Comentários