PremiumBCP junta-se ao Novo Banco e CGD na ação contra ENDE

Na conferência de apresentação de resultados, onde o banco registou uma queda dos lucros de 84% para 12,3 milhões, Miguel Maya disse que BCP “toma todas as iniciativas” para recuperar crédito.

O Millennium BCP, que tem como acionista a Sonangol com 19,49%, aderiu à ação conjunta de execução judicial da garantia pública que a ENDE – Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade, que pertence ao estado angolano. Essa garantia foi dada ao crédito concedido pelos três bancos à Winterfell 1 (de Isabel dos Santos) para a compra da Efacec, confirmou o Jornal Económico. O Novo Banco, a Caixa Geral de Depósitos e o BCP avançaram com uma ação conjunta para receber cerca de 30 milhões de euros da ENDE. Desta forma o estado angolano terá de pagar parte da dívida da Winterfell Industries (que é dona da Winterfell 2) aos bancos portugueses.

O presidente executivo do BCP foi questionado sobre a ação contra o estado angolano, durante a conferência de imprensa de apresentação dos resultados do primeiro semestre, e referiu que “tomamos todas as decisões que consideramos adequadas para recuperar o máximo que for possível do crédito [em incumprimento]”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumCrescimento dos depósitos das empresas ‘amortece’ fim das moratórias

Banca recebeu indicações para encontrar soluções caso a caso. Muitas empresas utilizaram apoios para constituir depósitos.

Sabe como identificar notas roubadas?

Quando recebe notas de alguém deve estar atento para evitar aceitar notas roubadas. Este episódio do BdP Podcast traz-lhe algumas informações úteis: dá-lhe a conhecer formas de saber se as notas que lhe passam pela frente foram obtidas num furto.

PremiumSantander Totta avança com cerca de 210 despedimentos

O Banco Santander Totta vai comunicar esta sexta-feira à Comissão de Trabalhadores que tem 210 trabalhadores com quem não foi possível chegar a acordo e como tal são elegíveis para o despedimento colectivo.
Comentários