BCP tem oito mil milhões de crédito em regime de moratória

O BCP tem 8.018 milhões de euros de crédito em moratória, entre famílias (onde há 3.421 milhões de euros) e empresas de 4.597 milhões de euros. Entre cancelamentos, liquidações e moratórias expiradas já houve uma redução de 17%.

O Millennium BCP que apresentou, esta segunda-feira, as suas contas do primeiro trimestre tem 8.018 milhões de euros de crédito em moratória, entre famílias (onde há 3.421 milhões de euros) e empresas de 4.597 milhões de euros. Entre cancelamentos, liquidações e moratórias expiradas já houve uma redução de 17%.

Do total do crédito em moratória 65,2% está em stage 1 (sem risco de incumprimento); 26,1% está no stage 2 (crédito em risco) e 8,7% em stage 3, ou seja em incumprimento.

Ao todo, 91% do montante de moratórias ativas corresponde a crédito performing, lembra Miguel Maya, CEO do BCP que dá destaque ainda ao facto de o crédito hipotecário representar 96% das moratórias às famílias.

Há 67% do crédito com moratórias ativas coberto por hipotecas (46% por hipotecas residenciais e 21% por hipotecas comerciais).

O banco reporta que as novas adesões a moratórias somaram 252 milhões no 1.º trimestre de 2021 (55% nas famílias e 45% em empresas).

O BCP realça que o fim das moratórias em março 2021 não teve impacto significativo no crédito vencido.

Em termos de linhas Covid-19, o BCP assume que mantém a liderança na colocação das Linhas de crédito Covid-19. Os desembolsos somaram 19.161 operações e 2.498 milhões de euros.

O banco referiu que concedeu prorrogação dos períodos de carência de capital nas operações de crédito com garantias públicas, apoiando os ciclos de tesouraria das empresas.

O crédito a empresas representa 42% do total de crédito no BCP, com um peso dos setores da construção e imobiliário de 6% em Março de 2021

 

Relacionadas

BCP aumenta lucros em 64% para 57,8 milhões de euros no trimestre

Os resultados incorporam um reforço expressivo de imparidades e provisões de 242,8 milhões de euros (mais 20,3% face ao período homólogo).
Recomendadas

EuroBic com prejuízos de 7,4 milhões de euros no primeiro semestre

O EuroBic registou prejuízos de 7,4 milhões de euros no primeiro semestre, graças a imparidades de ativos financeiros não mensurados pelo justo valor de 13,5 milhões de euros.

Venda do Novo Banco há 4 anos “foi indispensável para garantir a estabilidade financeira”, diz Máximo dos Santos

Faz esta segunda-feira quatro anos que o banco que Bruxelas queria que fosse liquidado foi vendido à Lone Star. Luís Máximo dos Santos e Sérgio Monteiro, ambos protagonistas na operação de venda de 75% do Novo Banco, defendem ao JE que foi a solução que melhor salvaguardou a estabilidade. Numa trajetória de lucros, o Novo Banco prepara-se para apresentar a nova imagem esta semana.

Portugueses com conta bancária digital duplicarão até 2026

O número de adultos portugueses com conta bancária digital deverá duplicar até 2026, diz a Finder.com. Vai passar dos atuais 14% que têm uma conta bancária digital para 28%.
Comentários