BCP vai recorrer da multa de 60 milhões de euros imposta pela Concorrência

Em comunicado divulgado pela CMVM, o BCP sustentou que “da decisão da AdC não resulta que as práticas de partilha de informação imputadas ao BCP tenham tido qualquer efeito negativo para os consumidores”.

João Relvas/Lusa

O Millennium bcp vai impugnar judicialmente a decisão da Autoridade de Concorrência (AdC) que condenou o banco liderado por Miguel Maya a pagar 60 milhões de euros – valor avançado pelo Jornal Económico – por ter estado envolvido numa prática concertada na qual trocou informação com outros bancos sobre crédito à habitação, crédito ao consumo e crédito a empresas.

Em comunicado divulgado pela Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM), o BCP sustentou que “da decisão da AdC não resulta que as práticas de partilha de informação imputadas ao BCP tenham tido qualquer efeito negativo para os consumidores”.

“Saliente-se, aliás, que o período abrangido pela Decisão inclui o período pré-crise financeira de 2008 em que se verificaram práticas comerciais muito competitivas entre instituições, com vista ao reforço das respectivas quotas de mercado, as quais foram posterior e publicamente reconhecidas por analistas e pelos media em geral como geradoras de crédito com preços muito baixos”, prossegue o BCP no comunicado.

“Após 2008 o preçário do BCP refletiu o aumento generalizado dos spreads de crédito em consequência da crise económico-financeira e as condições de financiamento do país. Salienta-se também que as informações trocadas pelos departamentos de marketing correspondiam, no caso do BCP, aos spreads standard que são divulgados através do preçário geral e não aos preços que acabam por ser praticados nas negociações individuais com os clientes”, lê-se na nota.

A AdC condenou esta segunda-feira, dia 9 de setembro, multou 14 bancos em 225 milhões de euros (valor global da coima) por terem participado num esquema de pratica concertada de troca de informações por um período superior a dez anos, entre 2002 e 2013.

Os bancos condenados foram o BBVA, o BIC (por factos praticados pelo então BPN), o BPI, o BCP, o BES, o BANIF, o Barclays, a CGD, a Caixa de Crédito Agrícola, o Montepio, o Santander (por factos por si praticados e por factos praticados pelo Banco Popular), o Deutsche Bank e a UCI.

Até ao momento, sabe-se que o Santander Totta, o Millennium bcp e a Caixa Geral de Depósitos vão recorrer da decisão da Concorrência.

Ler mais
Relacionadas

Concorrência multa CGD em 82 milhões e BCP em 60 milhões

CGD vai recorrer, o mesmo sucedendo com o Santander, que foi multado em 35 milhões de euros e com o BCP. O BPI e o Montepio foram multados em 30 milhões e 13 milhões respectivamente.

Autoridade da Concorrência multa 14 bancos em 225 milhões por prática concertada de preços na concessão de crédito

“Os bancos condenados são  o BBVA, o BIC (por factos praticados pelo então BPN), o BPI, o BCP, o BES, o BANIF, o Barclays, a CGD, a Caixa de Crédito Agrícola, o Montepio, o Santander (por factos por si praticados e por factos praticados pelo Banco Popular), o Deutsche Bank e a UCI”, diz a AdC em comunicado.

BES multado pela Autoridade da Concorrência

O valor da multa ao BES é de 700 mil euros. O banco em liquidação foi notificado na noite de segunda-feira.
Recomendadas

Endividamento das empresas agravou 400 milhões de euros em agosto por causa do sector público

Dos 724 mil milhões de euros de dívida registada em agosto, 319,8 mil milhões de euros têm no setor público e 404,2 mil milhões de euros no setor privado, de acordo com uma nota de informação estatística do Banco de Portugal.
BCP

Sonangol não quer sair do BCP

Miguel Maya e Nuno Amado estiveram em Luanda na semana passada reunidos com Gaspar Martins, presidente do conselho de administração da Sonangol. A petrolífera estatal angolana reafirmou o interesse em permanecer como acionista de referência do banco.

PremiumCGD vende filial em Espanha acima do valor de mercado

A Caixa vendeu o Banco Caixa Geral ao Abanca com um múltiplo acima da média do mercado. O Price-to-Book Value inerente à transação foi de 0,74x acima da média na Ibéria que é de 0,57x.
Comentários