BE pede a Centeno que assine autorizações que tem na secretária para o SNS

Catarina Martins destacou ainda que a reposição de salários e pensões “foi possível” devido à “participação de vários partidos que fazem uma maioria no parlamento”.

A coordenadora do BE pediu hoje ao ministro das Finanças para assinar “as autorizações de despesa que tem na secretária para o Serviço Nacional de Saúde”, porque o dinheiro, previsto no orçamento, “está a ser necessário como nunca”.

“Mário Centeno [ministro das Finanças] tem de assinar as autorizações de despesa que tem na secretária e que são investimento preciso no Serviço Nacional de Saúde [SNS]. O INEM [Instituto Nacional de Emergência Médica] precisa de ambulâncias e de 300 profissionais. Há hospitais que aguardam pela assinatura do ministro para terem os profissionais e os meios necessários. Não se compreende que continuem a esperar: está nos orçamentos o investimento necessário e não há cativações”, afirmou Catarina Martins aos jornalistas, à margem de uma visita à feira semanal de Espinho, distrito de Aveiro.

Questionada sobre os elogios do jornal britânico Financial Times à recusa da austeridade por parte do primeiro-ministro António Costa, Catarina Martins destacou que a reposição de salários e pensões “foi possível” devido à “participação de vários partidos que fazem uma maioria no parlamento”, destacando que “esse caminho não chega”, sendo agora necessário o investimento nos serviços públicos, em particular no SNS.

Recomendadas
medina_candidatura_1

Sondagem. Medina com nove pontos de vantagem sobre Moedas

Sondagem feita para a “RTP/Público”, aponta que Medina poderá reeleger entre sete a oito vereadores, a um lugar da maioria absoluta. Já Carlos Moedas poderá eleger entre cinco a seis vereadores.

Conselho de Ministros prepara-se para devolver ‘antigo normal’ aos portugueses esta quinta-feira (com áudio)

A próxima e última fase de desconfinamento prevê que restaurantes, cafés e pastelarias deixem de ter limite máximo de pessoas por grupo, quer no interior quer em esplanadas; estabelecimentos e equipamentos deixam também de ter limites de lotação, tal como os espetáculos culturais e eventos como casamentos e batizados. Mas regras só deverão entrar em vigor a 1 de outubro.

“Reabertura das discotecas pode contribuir para fim dos ajuntamentos”, diz presidente da junta do Bairro Alto e Cais do Sodré

“Desde o último desconfinamento que aumentaram bastante os ajuntamentos na freguesia, nomeadamente, na zona do Bairro Alto e na Zona do Cais Sodré. Estes ajuntamentos são muito superiores aos que se verificaram antes do Covid”, conta a autarca Carla Madeira.
Comentários