BEI e IFD disponibilizam 200 milhões de euros a PME portuguesas reestruturadas

Esta iniciativa vem no âmbito do Programa Capitalizar, operacionalizado pelo Ministério da Economia, que tem como objetivo proporcionar o acesso ao financiamento a pequenas e médias empresa que foram objeto de uma reestruturação e que necessitam de fundos para investir em inovação.

REUTERS/Kai Pfaffenbach

O Banco Europeu de Investimento (BEI) e a Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD) anunciaram, esta sexta feira, conceder financiamento às pequenas e médias empresas portuguesas que foram objeto de uma reestruturação bem-sucedida e que necessitam de fundos para investir em inovação, com o objetivo de se tornarem mais competitivas.

O financiamento é de 200 milhões de euros e o banco da União Europeia concederá um empréstimo de 100 milhões de euros de apoio à IFD.

Este novo instrumento prevê não apenas o apoio direto ao investimento em capital fixo associado ao desenvolvimento de projetos que visem a recuperação empresarial, mas também o apoio a necessidades de fundo de maneio resultantes do desenvolvimento de tais projetos.

Pedro Siza Vieira, Ministro da Economia apoia a iniciativa e explica que ”é fundamental apoiar as empresas que passaram pelo difícil processo de reestruturação. Esta linha de financiamento será um instrumento dirigido às empresas que ultrapassaram essa etapa, canalizando fundos para serem competitivas e, assim, iniciar esta nova fase da sua vida com mais solidez e confiança”, cita o comunicado.

A iniciativa vem no âmbito do Programa Capitalizar, operacionalizado pelo Ministério da Economia, e tem como objetivo proporcionar o acesso ao financiamento a empresas recentemente reestruturadas, que têm maiores dificuldades a aceder ao crédito bancário.

Recomendadas

Economia alemã recuou ligeiramente no 2.º trimestre, diz Bundesbank

No seu boletim mensal de julho, o Bundesbank disse que essa contração se deveu ao desaparecimento de alguns efeitos extraordinários que tinham impulsionado o crescimento durante o inverno.

BBVA revê em alta estimativa do crescimento da economia portuguesa para 1,7% este ano

Numa nota de research, o BBVA antecipa que a desaceleração do consumo este ano seja compensada por um aumento no investimento.

Quanto vai ser investido e quando está pronta: Conheça os planos da nova Expo na zona ocidental de Lisboa

Mais de três quartos do valor de investimento de 300 milhões de euros previsto para o ‘Ocean Campus’, projeto de reconversão da zona ribeirinha entre Pedrouços (Lisboa) e a Cruz Quebrada (Oeiras) será exclusivamente assegurado por privados, de acordo com o documento referente ao plano estratégico deste empreendimentos, a que o Jornal Económico teve acesso. Veja aqui todos os pormenores sobre aquela que é designada como a Nova Expo.
Comentários