Benfica: Três pessoas e três empresas constituídas arguidas

Arguidos constituídos no seguimento das buscas feitas ao Sport Lisboa e Benfica, por suspeitas dos crimes de branqueamento e fraude fiscal. Estão em causa 1,9 milhões de euros.

Cristina Bernardo
Ler mais

Três pessoas singulares e três sociedades foram constituídas arguidas, no seguimento das buscas feitas ao Sport Lisboa e Benfica, por suspeitas dos crimes de branqueamento e fraude fiscal, informou esta quarta-feira, 6 de junho, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

As buscas decorreram na terça-feira, cumprindo-se três mandados de buscas domiciliárias e cinco não domiciliárias.

Em comunicado, a PGDL informa que dois dos mandados respeitavam “às sociedades Sport Lisboa e Benfica SAD e Benfica Estádio Construção Gestão Estádios”.

“Indicia-se suficientemente nos autos que estas sociedades, a coberto de uma suposta prestação de serviços de consultoria informática, realizaram várias transferências bancárias para uma conta titulada por uma outra sociedade, num valor total de 1.896.660 euros”, explica a PGDL, acrescentando que estes montantes “acabavam depois por ser levantados em numerário”.

Suspeita a PGDL que a Benfica Estádio “terá sido utilizada com o único propósito de retirar dinheiro das contas do Benfica”.

Buscas com 25 inspetores

As buscas que decorreram a 5 de junho foram feitas por 25 inspetores da Polícia Judiciária (PJ).

A investigação encontra-se a cargo da 8ª secção do Departamento de Insvestigação e Ação Penal de (DIAP) de Lisboa, “com a coadjuvação da PJ – UNCC [Unidade Nacional de Combate à Corrupção]”.

 

O “Jornal de Notícias” e o “Correio da Manhã” noticiaram esta quarta-feira que as autoridades admitem a hipótese de existir um esquema para pagar menos impostos e de o dinheiro envolvido ter um “saco azul” como destino, do qual o Benfica poderá ter-se servido para fazer pagamentos informais.

O clube da Luz deverá emitir um comunicado aidna esta quarta-feira.

Relacionadas

Novas buscas no Benfica, agora por suspeita de fraude fiscal e branqueamento de capitais

Ministério Público e Polícia Judiciária estão a investigar ligações pouco claras de algumas empresas com os encarnados. O SL Benfica está já envolvido em vários casos de polícia: “E-mails”; “E-toupeira”; suspeita de aliciamento de jogadores do Marítimo na época 2015/2016.

Benfica avança com “queixa crime” contra Sporting por “grave difamação”

O Benfica informou esta segunda-feira que avançará com uma “queixa-crime por grave difamação e denúncia caluniosa” contra o Sporting, a propósito de um alegado aliciamento dos ‘encarnados’ a futebolistas dos ‘leões’.

e-Toupeira: Ministério Público diz que processo coloca em causa a própria Justiça

A afirmação é do Ministério Público, em reação ao recurso de José Nogueira Silva, funcionário judicial e único elemento do caso e-Toupeira, que se encontra preso.

“e-toupeira”: detetadas “toupeiras” também em Leiria e Coimbra

Já são três as comarcas judiciais onde foram registados acessos indevidos a processos que se encontravam em segredo de justiça, informa o “Jornal de Notícias”. Caso “e-toupeira” tem sete arguidos, um deles encontra-se em prisão preventiva.
Recomendadas

Ata do IPDJ contraria afirmações do secretário de Estado do Desporto

Ata de reunião de 5 de maio de 2017 do conselho diretivo do IPDJ confirma acusação que recai sobre Vítor Pataco: Baganha teve de avocar o processo que o seu vice reteve por nove meses.

E-toupeira: novos emails divulgados indiciam ofertas a árbitros

“Correio da Manhã” e “Record” noticiam mensagens publicadas no blog intitulado “Mercado de Benfica” indiciam a existência de ofertas a árbitros, que incluem prostituição e o pagamento de contas de hotel, assim como registam a existência de uma relação estreita entre o Benfica e as suas claques.

Lucros do Benfica caem 53,7% para 20,5 milhões

O clube encarnado anunciou à CMVM lucros de 20,58 milhões de euros no exercício de 2017/2018, o que corresponde a uma queda de 53,7% face aos 44,53 milhões na época passada.
Comentários