Bernie Sanders diz que governo de Israel é racista

O pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos criticou o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, apelidando o seu governo de racista.

O pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos Bernie Sanders criticou esta segunda-feira o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, apelidando o seu governo de racista.

O objetivo dos Estados Unidos no Oriente Médio deve ser o de unir as pessoas. “Não apenas de apoiar um país, que agora é dirigido por um, ouso dizer, Governo racista de direita”.

Sanders disse em New Hampshire que acreditava que os Estados Unidos deveriam “lidar com o Médio Oriente numa base de igualdade de condições”.

O senador de Vermont sublinhou que “não é anti-Israel”, mas sente que Netanyahu é “um político de direita” que está tratar o povo palestiniano de forma “extremamente injusta”.

Sanders acrescentou, contudo, que é “100% pró-Israel” e que o país tem “todo o direito do mundo para existir em paz e segurança e não estar sujeito a ataques terroristas”.

Nas últimas eleições, em 2016, Bernie Sanders concorreu nas primárias do Partido Democrata e perdeu a nomeação para Hillary Clinton que, por sua vez, acabou derrotada pelo candidato republicano e atual Presidente, Donald Trump.

Ler mais
Recomendadas

PremiumCarrie Symonds: a primeira namorada da política britânica

Filha de um dos fundadores do jornal britânico “The Independent” e de uma advogada do mesmo órgão de comunicação, Carrie, de 31 anos, recebeu uma educação privilegiada. Começou a trabalhar no Partido Conservador como assessora de imprensa, participou na candidatura de Boris Johnson a mayor de Londres e trabalha atualmente no Vibrant Oceans, um programa ambiental da Bloomberg Philantropies. É a “primeira namorada” a chegar a Downing Street.

EUA: confiança dos consumidores arrefece face a possível recessão económica

Face aos cortes nas taxas de juro da Fed, os consumidores norte-americanos receiam uma possível recessão económica. Previsões dos economistas ficaram aquém dos resultados do relatório da Universidade de Michigan.

Novas tarifas de Trump terão impacto de 1% no comércio internacional em 2020

A AP Moller-Maersk, empresa que realiza cerca de 20% do comércio marítimo mundial, estima que as tarifas já impostas pelos Estados Unidos tenham minado o comércio mundial em 0,5% este ano, e antecipa que o cenário piore em 2020.
Comentários