Bernie Sanders diz que governo de Israel é racista

O pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos criticou o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, apelidando o seu governo de racista.

O pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos Bernie Sanders criticou esta segunda-feira o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, apelidando o seu governo de racista.

O objetivo dos Estados Unidos no Oriente Médio deve ser o de unir as pessoas. “Não apenas de apoiar um país, que agora é dirigido por um, ouso dizer, Governo racista de direita”.

Sanders disse em New Hampshire que acreditava que os Estados Unidos deveriam “lidar com o Médio Oriente numa base de igualdade de condições”.

O senador de Vermont sublinhou que “não é anti-Israel”, mas sente que Netanyahu é “um político de direita” que está tratar o povo palestiniano de forma “extremamente injusta”.

Sanders acrescentou, contudo, que é “100% pró-Israel” e que o país tem “todo o direito do mundo para existir em paz e segurança e não estar sujeito a ataques terroristas”.

Nas últimas eleições, em 2016, Bernie Sanders concorreu nas primárias do Partido Democrata e perdeu a nomeação para Hillary Clinton que, por sua vez, acabou derrotada pelo candidato republicano e atual Presidente, Donald Trump.

Ler mais
Recomendadas

Visita dos Estados Unidos a Taiwan motiva tensões com a China

“Taiwan tem sido um modelo de transparência e cooperação na saúde global durante a pandemia e muito antes dela”, apontou o secretário da Saúde dos EUA que visitará a região onde surgiu o coronavírus nos próximos dias

EUA esperavam 1,5 milhões novos empregos em julho. Foram criados apenas 167 mil

Número fica bem abaixo dos 1,5 milhões de novos empregos que os especialistas apontavam para este período nos EUA.

ONU teme graves problemas na distribuição de cereais após explosões em Beirute

“Recebi uma curta mensagem de um responsável da FAO em Beirute: ‘Tememos que uma grande parte das reservas de trigo que estavam no porto (de Beirute) tenham sido destruídas pelas explosões’. As reservas estão gravemente danificadas”, disse Dominique Burgeon, responsável pelas situações de emergência da agência da ONU à agência France-Presse, em Paris.
Comentários