Bernie Sanders diz que governo de Israel é racista

O pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos criticou o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, apelidando o seu governo de racista.

O pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos Bernie Sanders criticou esta segunda-feira o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, apelidando o seu governo de racista.

O objetivo dos Estados Unidos no Oriente Médio deve ser o de unir as pessoas. “Não apenas de apoiar um país, que agora é dirigido por um, ouso dizer, Governo racista de direita”.

Sanders disse em New Hampshire que acreditava que os Estados Unidos deveriam “lidar com o Médio Oriente numa base de igualdade de condições”.

O senador de Vermont sublinhou que “não é anti-Israel”, mas sente que Netanyahu é “um político de direita” que está tratar o povo palestiniano de forma “extremamente injusta”.

Sanders acrescentou, contudo, que é “100% pró-Israel” e que o país tem “todo o direito do mundo para existir em paz e segurança e não estar sujeito a ataques terroristas”.

Nas últimas eleições, em 2016, Bernie Sanders concorreu nas primárias do Partido Democrata e perdeu a nomeação para Hillary Clinton que, por sua vez, acabou derrotada pelo candidato republicano e atual Presidente, Donald Trump.

Ler mais
Recomendadas

Pompeo e Pence a caminho de Ankara para discutir ofensiva Turca no nordeste da Síria

O vice-presidente e o secretário de Estado dos EUA vão viajar para a Turquia esta noite para discutir a Operação Primavera da Paz da Turquia e a situação na Síria.

Rússia diz que não permitirá confrontos entre exércitos turco e sírio

A Rússia não vai permitir confrontos entre os exércitos turco e sírio, em plena operação militar de Ancara no nordeste sírio contra uma milícia curda, advertiu o enviado especial russo à região.

Boris Johnson na margem de um acordo. Primeira versão do Brexit pode chegar esta noite

Uma primeira versão do acordo poderá ser publicada já esta quarta-feira. Segundo a imprensa britânica, as equipas de negociação conseguiram chegar a um consenso sobre uma fronteira alfandegária no mar da Irlanda.
Comentários