Bill Gates quer taxar robôs. União Europeia diz ‘nem pensar’

Andrus Ansip, o comissário Europeu com a pasta do mercado único digital, é contra à criação de um imposto sobre robôs.

“Nem pensar. Nem pensar”. Foi desta forma que Ansip respondeu à pergunta se concordava com uma taxa sobre robôs durante um painel da CNBC, que decorreu quinta-feira à noite na Áustria.

“Eu concordo que se deva criar impostos para maus hábitos, como a poluição, o consumo de tabaco e de bebidas alcoólicas”, acrescentou este responsável da UE.
No início deste ano, o fundador da Microsoft, Bill Gates, afirmou que os robôs que substituam seres humanos deveriam ser taxados para compensar os empregos perdidos. “Se um humano criar 50 mil dólares numa fábrica esse trabalho é taxado. Se forem os robôs a fazer a mesma coisa então deve ser praticado um imposto”.

O fundador da Microsoft defende ainda que cabe aos governos apoiar os profissionais de baixos rendimentos afetados pela robotização do mercado de trabalho, podendo investir na educação e no aumento de serviços sociais de apoio aos desfavorecidos.

O CEO da Tesla, Elon Musk, e o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, defendem a criação de um rendimento básico universal. Com vários relatórios a apontar para uma possível redução do número atual de empregos disponíveis em 50% até 2030, estes empresários são defensores de um rendimento que garanta a todos os custos básicos de sobrevivência.

Recomendadas

Montijo: Problemas são apresentados “sob forma de homilia”, acusa ex-presidente do LNEC

Para Carlos Matias Ramos, antigo responsável do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, a estratégia para os transportes constitui um “desafio, uma oportunidade e uma necessidade”, sendo determinante para as “regiões periféricas”.

CEO da Galp compra participação na empresa

A operação ocorreu no dia 18 de junho, por um preço de 9,61 euros por ação, ou seja, um total de cerca de 243 mil euros.

Metro de Lisboa só começa a funcionar às 10:15 na quinta-feira devido a greve

O pré-aviso de greve foi entregue após uma reunião com o conselho de administração da empresa, realizada a 2 de junho, na qual não foi possível chegar a um entendimento.
Comentários