Bill Gates quer taxar robôs. União Europeia diz ‘nem pensar’

Andrus Ansip, o comissário Europeu com a pasta do mercado único digital, é contra à criação de um imposto sobre robôs.

“Nem pensar. Nem pensar”. Foi desta forma que Ansip respondeu à pergunta se concordava com uma taxa sobre robôs durante um painel da CNBC, que decorreu quinta-feira à noite na Áustria.

“Eu concordo que se deva criar impostos para maus hábitos, como a poluição, o consumo de tabaco e de bebidas alcoólicas”, acrescentou este responsável da UE.
No início deste ano, o fundador da Microsoft, Bill Gates, afirmou que os robôs que substituam seres humanos deveriam ser taxados para compensar os empregos perdidos. “Se um humano criar 50 mil dólares numa fábrica esse trabalho é taxado. Se forem os robôs a fazer a mesma coisa então deve ser praticado um imposto”.

O fundador da Microsoft defende ainda que cabe aos governos apoiar os profissionais de baixos rendimentos afetados pela robotização do mercado de trabalho, podendo investir na educação e no aumento de serviços sociais de apoio aos desfavorecidos.

O CEO da Tesla, Elon Musk, e o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, defendem a criação de um rendimento básico universal. Com vários relatórios a apontar para uma possível redução do número atual de empregos disponíveis em 50% até 2030, estes empresários são defensores de um rendimento que garanta a todos os custos básicos de sobrevivência.

Recomendadas

Ligações fluviais entre Barreiro e Lisboa não estão asseguradas na manhã e início da tarde deste sábado

Entre as 7h25 e as 14h55, no sentido entre o Barreiro e Lisboa, e entre as 7h55 e às 15h25, no sentido contrário, as ligações não estão asseguradas, estando os horários “sujeitos a confirmação”, diz Soflusa em comunicado.

BdP e CMVM já enviaram as respostas que a ASF precisa para avaliar idoneidade da administração da Mutualista

O Banco de Portugal enviou ontem por escrito a informação que a ASF diz ter pedido para avançar com a avaliação da idoneidade da administração de Tomás Correia. A CMVM também já respondeu ao regulador dos seguros.

Efacec emitiu obrigações no valor de 58 milhões de euros

De acordo com a informação da empresa liderada por Isabel dos Santos, esta operação vai suportar o crescimento sustentado dos negócios do grupo. A Optimal Investments e a Beka Finance atuaram como assessores financeiros da operação.
Comentários