Bison Bank lança fundo que investe em obrigações chinesas onshore e offshore

O Bison Bank e a Lynx Asset Managers lançaram um fundo que investe em obrigações chineses e que é disponibilizado através de três unidades de subscrição em euros, dólares e Renminbi, para investidores individuais e institucionais.

Bison Bank é o distribuidor do “Bison China Flexible Bond Fund”, um fundo de investimento que “vem permitir a qualquer investidor explorar o potencial económico da China, investindo num portfolio diversificado de obrigações chinesas onshore e offshore”, diz a instituição em comunicado.

O Bison China Flexible Bond Fund é gerido pela Lynx Asset Managers SGOIC e trata-se de um fundo com subscrições e resgates diários e um portfolio diversificado, que se dirige a investidores com um perfil de risco médio, sendo o capital mínimo de subscrição de 15.000 euros, 20.000 dólares ou 120.000 Renminbi.

O fundo investe em obrigações chineses e é disponibilizado através de três unidades de subscrição em euros, dólares e Renminbi, para investidores individuais e institucionais.

Segundo o banco português detido por capitais chineses, as obrigações serão de emitentes chineses, sendo que a maioria são Investment Grade (rating grau de investimento) e têm no mínimo um dos ratings conferidos pelas três principais agências de rating internacionais (Moody´s, S&P, Fitch), podendo ser denominadas em euros, dólares e Renminbi. O fundo, por princípio, não efetuará coberturas cambiais, permitindo uma exposição à flutuação das moedas em que os ativos estão denominados face à moeda correspondente à categoria de subscrição.

“Os investidores deste fundo poderão beneficiar, não só do potencial de crescimento económico daquele que é já o segundo maior mercado obrigacionista no mundo, mas também ter acesso à dívida governamental e das maiores empresas e instituições financeiras chinesas, gerida por uma equipa experiente”, explica o Bison Bank.

 

 

Ler mais

Recomendadas

CEO do Goldman Sachs anuncia investimento de 156 mil milhões de dólares na sustentabilidade

David Solomon, presidente e CEO da Goldman Sachs, anunciou o progresso anual rumo ao compromisso do banco norte-americano em termos de Sustainable Finance Commitment. O banco norte-americano quer que os EUA regressem ao Acordo de Paris.

PremiumDeco perde ação judicial contra ex-gestores do BES

Era uma mega ação de pedido de indemnização em nome dos pequenos acionistas que foram lesados pelo aumento de capital do antigo BES, mas o Tribunal da Relação manteve a decisão desfavorável à Deco.

“A comissão executiva aprovou dois planos de redução de pessoal”, diz CEO do Santander

Pedro Castro e Almeida, presidente executivo do Banco Santander Totta, respondeu por escrito ao Jornal Económico sobre os resultados anuais de 2020, que caíram 43,9%.
Comentários