PremiumBitcoin com potencial, mas ainda longe de ser equiparada a ouro

A escassez da Bitcoin e a resistência à inflação podem torná-la numa reserva de valor numa economia digital, mas não para já.

Um aspeto frequentemente mencionado por quem vê nas criptomoedas e, sobretudo, na Bitcoin um potencial económico e financeiro tremendo é a possibilidade de esta servir como reserva de valor numa economia digital, muito à semelhança do que sucede atualmente com o ouro. Apesar de dificilmente vir a substituir o papel deste metal precioso na economia, a Bitcoin pode, pela quantidade limitada que existe no mercado, vir a desempenhar funções semelhantes no mundo dos ativos digitais e numa economia mais desmaterializada. No entanto, os analistas afastem tal cenário no curto prazo.

O processo de formação de Bitcoins é limitado, o que significa que há uma restrição ao volume desta moeda em circulação. Atualmente, os miners da moeda recebem 6,25 Bitcoins por cada bloco minado, ou seja, por cada problema matemático para o qual são os primeiros na rede a encontrar a resposta certa. Esta recompensa tem vindo a ser cortada por metade a cada quatro anos, um processo denominado como halving, de forma a manter a escassez do ativo.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Premium“Infelizmente, OE continua a manter taxação de IVA para solicitadores, advogados e notários”

Bastonário lamenta que OE2022 mantenha taxação de IVA de atos jurídicos efetuados em concorrência com o Estado, o que é “muito lesiva” aos cidadãos. Teme ainda cobranças ilegais e quer sorteio de agentes de execução.

Englobar mais-valias pode ditar menos rendimento líquido, segundo consultora Ilya

Os cálculos da Ilya têm em conta dois contribuintes com um salário anual de 77.500 euros, com um a somar a este rendimento mais-valias e 7.500 euros e o outro a registar mais-valias de 6.000 euros.

Alterações ao IRS não configuram “desagravamento substancial e generalizado”, dizem fiscalistas da KPMG e Católica

Leonardo Marques dos Santos, professor de Direito Fiscal da Faculdade de Direito da Universidade Católica, relembra que nem todos os contribuintes são jovens nem têm filhos, numa das críticas feitas às medidas apresentadas pelo Governo na proposta de OE2022.
Comentários