Black Friday: Portal da Queixa lança plataforma de pesquisa e comparação de descontos

Portal da Queixa desafia marcas a garantir confiança e transparência. Para o efeito, vai lançar o website – www.blackfriday2018.pt nesta quarta-feira, 21 de novembro. Trata-se de uma plataforma de pesquisa e comparação de descontos. E conta com a adesão de várias marcas para, no dia 23, darem resposta aos consumidores em apenas 60 minutos.

Andy Rain/EPA/Lusa

No âmbito da semana Black Friday 2018, o Portal da Queixa, a maior rede social de consumidores online do país, vai lançar, esta semana, um website – www.blackfriday2018.pt – que funcionará como um guia dos melhores descontos e promoções para a sexta-feira mais aguardada do ano, que ocorre a 23 de novembro. Consultar as melhores ofertas, comparar marcas com confiança e até denunciar casos de fraude são algumas das funcionalidades da plataforma que estará disponível esta quarta-feira (21 de novembro).

Segundo o Portal da Queixa, “a grande novidade deste ano é contar com a adesão de marcas como a Conforama, Prosegur, Phone House, La Redoute, Optivisão, Lion of Porches, Samsonite, Securitas Direct e Decenio que estarão online, no dia 23, para dar resposta às dúvidas, reclamações e pedidos de informação dos consumidores, no tempo máximo de 60 minutos”. Objetivo, frisa, garantir a proximidade necessária para que o consumidor possa comprar com confiança e transparência.

Esta iniciativa, idealizada pelo Portal da Queixa, tem, assim, como principal objetivo facilitar o contacto entre marcas e consumidores.  A rede social de consumidores online  sublinha que, para além de permitir o rápido acesso – numa única plataforma – à consulta dos melhores preços, às promoções de várias marcas que se associaram ao website, possibilita, ainda, aos consumidores que estejam atentos à reputação das marcas, que efetuem compras seguras e conscientes.

“É tradição que, durante a Black Friday, os consumidores procurem fazer as compras mais vantajosas, de forma totalmente segura e, por isso, necessitam de ter confiança nas marcas a que pretendem adquirir os produtos. Todavia, o tempo disponível para o processo de decisão é normalmente muito curto e tomado por impulso, o que poderá resultar numa experiência negativa, na eventualidade deste não conseguir o apoio e proximidade necessária por parte da marca”, explica Sónia Lage Lourenço, COO e Co-Founder do Portal da Queixa.

Segundo esta responsável, esse foi o principal motivo de reclamações na Black Friday 2017: a dificuldade de contacto e apoio com as marcas. “Em 2018 queremos estar ao lado dos consumidores e das marcas, ao garantir uma comunicação mais eficaz e evitar assim reclamações desnecessárias, oferecendo boa fé e confiança”, afirma Sónia Lourenço, dando conta que este objetivo será garantido através da plataforma em www.blackfriday2018.pt, onde será disponibilizado o contacto através de formulário apenas às melhores marcas no mercado, para que estas se comprometam a efetuar um contacto de resposta, até 60 minutos após a recepção do pedido, dentro do horário de atendimento definido pela marca.

“Acreditamos que esta proximidade e confiança, irá garantir a tranquilidade necessária aos consumidores que procurem as marcas com melhor reputação na nossa plataforma agregadora, para a Black Friday 2018”, conclui a COO e Co-Founder do Portal da Queixa.

Segundo a rede social de consumidores online, esta plataforma – criada em exclusivo para a Black Friday – é totalmente gratuita e, para as marcas aderentes, tem apenas como contrapartida: que assumam o compromisso de proximidade e confiança com os consumidores.

Neste sentido, durante a iniciativa, o processo será publicamente monitorizado e os resultados serão divulgados no final da campanha.

“Entendemos que deve ser este o nosso contributo para a sociedade de consumo, com vista a potenciar uma relação entre marcas e consumidores baseada em reputação positiva”, sublinha a responsável do Portal da Queixa, acrescentando que com esta iniciativa esta rede social de consumidores online reforça o seu papel dinamizador (entre consumidores e marcas) e promotor de um serviço público de informação útil que apoia e esclarece a sociedade de consumo e orienta ainda as suas reclamações.

É neste sentido que a equipa de Sónia Lage Lourenço estará a postos na próxima Black Friday: “Vamos estar online junto das marcas e dos consumidores, comunicando através das redes sociais, para que as ofertas divulgadas sejam as mais vantajosas e estaremos atentos às denúncias e reclamações que nos forem chegando acerca das más práticas na Black Friday.”

Sónia Lage Lourenço deixa ainda um conselho a todos os consumidores: “A pesquisa é fundamental para que ofertas com preço de sonho não se transformem em pesadelos por serem falsas promoções. Infelizmente, ainda existem muitas ofertas enganosas online que têm como objetivo o lucro fácil e, mesmo denunciadas às autoridades, não são sinónimo de recuperação da perda, pelo que, qualquer compra deve ser feita de forma segura e ponderada, comparando sempre marcas, produtos e preços.”

O  Portal da Queixa  regista uma média de 10.000 reclamações por mês de 5.000 marcas presentes na plataforma, num total de 290.000 utilizadores registados (10.000 novos /mês)  e três milhões de páginas visitas/mês. Conta ainda com 800.000 visitantes únicos (10% do universo de utilizadores de internet em Portugal) e está no Top 300 dos sites mais acedidos em Portugal (ranking Alexa). Desde 2009, já registou 235 mil reclamações.

Ler mais
Recomendadas

Como alternar automaticamente entre os modos claro e escuro no Windows 10

Aprenda a programar o Windows para alternar automaticamente entre o modos de visualização escuro e claro consoante a hora.

Regimes de casamento: que diferença fazem nas finanças do casal?

O regime de bens que se escolhe no âmbito do casamento influencia as finanças de um casal, em particular na hora de solicitar um empréstimo. Também em situação de divórcio há consequências distintas no crédito consoante o regime de bens adotado.

PremiumDireção Geral de Saúde desaconselha tabaco eletrónico

Direção Geral de Saúde associa substâncias utilizadas nos líquidos do tabaco eletrónico a doenças pulmonares, remetendo para futuras medidas de Bruxelas. Do lado contrário, estão empresas como a Nerudia, que emprega cerca de 370 pessoas.
Comentários