BNI Europa e Edebex lançam plataforma online de compra de faturas para salvar tesouraria das PME

A primeira parceria entre um banco e uma Fintech estrangeira para o financiamento da economia nacional, serve para salvar as PMEs do estrangulamento de tesouraria. O BNI Europa e a Edebex vão comprar as faturas a grandes clientes que pagam a prazos longos.

O Banco BNI Europa (BNI Europa) e a Edebex anunciam hoje a celebração de uma nova parceria com vista à disponibilização imediata de uma plataforma online de compra e venda de faturas junto das empresas portuguesas com necessidades de tesouraria. Se uma empresa vai receber a 60 ou a 90 dias, e precisa de liquidez de tesouraria, o BNI Europa através da plataforma da Edbex, compra essa fatura com um desconto face ao valor nominal e depois fica à espera de cobrar essa fatura no prazo previsto.

Mas só aceita faturas de empresas que sejam elegíveis para a seguradora de seguros de crédito COSEC, com quem o banco trabalha nesta atividade. O publico alvo desta oferta são pequenas empresas ou empresários em nome individual que prestem serviços a grandes empresas que pagam geralmente a prazos longos, o que muitas vezes estrangula as empresas de pequena dimensão com rupturas de tesouraria. O banco não compra faturas que sejam de entidades públicas.

Com isto “o BNI Europa oferece uma alternativa inovadora ao crédito financeiro e ao factoring tradicional”, diz o banco liderado por Pedro Pinto Coelho.

As faturas inseridas na plataforma Edebex são vendidas a investidores libertando as empresas utilizadoras do risco de não pagamento. “O processo de financiamento é inovador na medida que não implica garantias, cauções, processos de crédito ou contratos que vincule as empresas utilizadoras no período de duração”, diz o banco em comunicado.

“As empresas utilizadoras recebem o dinheiro da venda da faturas nas suas respetivas contas à ordem no prazo médio de 72 horas, reduzindo-se este prazo se o cliente for do Banco BNI Europa”, descreve a instituição em comunicado.

Segundo Pedro Pinto Coelho, Presidente Executivo do Banco BNI Europa, disse em comunicado, “estamos muito empenhados em investir na economia portuguesa, nomeadamente no segmento das PME. A parceria com a Edebex é mais uma das iniciativas inovadoras que estamos a desenvolver de momento, tudo com vista a reforçar a nossa presença no mercado português. Para ter acesso a esta plataforma não é necessário ter conta no Banco BNI Europa, situação que é também ela inovadora no mercado português. De facto, o Banco BNI Europa é um banco com uma arquitetura aberta e tem como objetivo estabelecer parcerias deste tipo, quer em Portugal, quer a nível internacional.“

A Edebex, com quem o banco faz a parceria, foi fundada em 2013, e é uma plataforma de mercado que propõe às empresas a otimização da sua tesouraria através da venda das suas faturas de clientes – dívidas de clientes – a investidores que têm excedentes de tesouraria e que pretendem valorizá-los.

“A própria ideia é simples”, diz Xavier Corman, cofundador e CEO da Edebex. “Por um lado, permitimos que as PME com problemas de fluxo de tesouraria vendam online as suas faturas em aberto recebendo os fundos de que precisam rapidamente, sem terem de esperar que estas sejam pagas. Por outro lado, oferecemos aos investidores a oportunidade de comprarem essas faturas, e desse modo, acederem a um investimento de muito baixo risco que oferece um retorno muito mais alto do que qualquer outra alternativa atualmente disponível no mercado”.

“Esta inovadora e revolucionária plataforma online de compra e venda encontra-se já disponível na Bélgica, França e Luxemburgo, países aos quais se junta agora Portugal”, diz o banco em comunicado.

No final de 2014, e apenas após alguns meses de operação, a Edebex (www.edebex.com) anunciou que passou a marca de 5 milhões de euros em compras e vendas de faturas através da sua plataforma online. No espaço de 3 anos, mais de 600 empresas venderam mais de 100 milhões de euros de faturas online.

“Enquanto o mercado belga continua a crescer rapidamente e de forma sustentada, a penetração da Edebex em França tem vindo a fazer-se muito rapidamente, com as empresas a adotarem de forma célere esta solução. Com base nesse sucesso, a Edebex lançou-se em abril no Luxemburgo, e entra agora em Portugal, onde espera que a adesão à sua solução venha a ser igualmente grande”, refere o comunicado que anuncia a primeira parceira em Portugal entre um banco e uma Fintech estrangeira para o financiamento da economia nacional.

Ler mais
Recomendadas

Vice-governador do BdP diz que orçamento comum é fundamental ao euro

O vice-governador do Banco de Portugal (BdP) Luís Máximo dos Santos defendeu esta sexta-feira que a existência de um orçamento comum a nível europeu é fundamental ao reforço da união monetária europeia.

Novo Banco confirma que a venda da carteira de malparado Nata II foi autorizada pelo Fundo de Resolução

O banco confirma assim a notícia avançada hoje pelo Jornal Económico. O Novo Banco já registou nas contas a venda da carteira de malparado ao fundo Davidson Kempner.

Portugueses recorrem cada vez mais ao crédito. 635 milhões em setembro

Os portugueses recorreram mais ao crédito no mês de setembro num total de 635 milhões de créditos contraídos. De acordo com uma nota publicada pelo Banco de Portugal esta sexta-feira, 15 de novembro, relativa à evolução dos novos créditos aos consumidores, os portugueses pediram um total de 295 milhões de euros em crédito pessoal, num […]
Comentários