Bolsa de Lisboa em terreno positivo com BCP a liderar ganhos

As principais praças europeias seguem todas em terreno positivo.

A bolsa de Lisboa está a negociar em terreno positivo na sessão desta quinta-feira, 16 de setembro. O PSI 20 está a subir 0,53% para 5.376,20 pontos.

O BCP lidera os ganhos com uma valorização de 1,32% para 0,1302 euros.

Segue-se a Sonae com ganhos de 1,12% para 0,8995 euros, e os CTT com 0,95% para 4,78 euros.

Na energia, a Galp valoriza 0,93% para 8,43 euros, e a EDP ganha 0,47% para 4,72 euros.

Destaque para a Jerónimo Martins que sobe 0,42% para 17,84 euros, para a NOS que ganha 0,59% para 3,43 euros, e a REN que sobe 0,40% para 2,535 euros.

Lá fora, Frankfurt sobe 0,64%, Madrid ganha 0,68%, Paris valoriza 0,73% e Londres com um avanço de 0,43%.

“As bolsas europeias ganham terreno, impulsionadas pelas empresas do setor energético, que beneficiam com a subida da cotação do petróleo”, segundo uma nota divulgada esta manhã pela BA&N Research Unit, que destaca que o “petróleo está a negociar em máximos de seis semanas (Brent acima dos 75 dólares esta quinta-feira). Para já, o efeito nas bolsas está a ser positivo, pois impulsiona a cotação das petrolíferas”.

Na Greenvolt, o empresário Paulo Fernandes reforçou a sua participação para 2,52%, através da Actium Capital. A empresa de energias renováveis está a afundar 3,75% para 6,17 euros no índice geral da bolsa de Lisboa esta manhã.

Nas notícias, a EDP Renováveis anunciou hoje que fechou um Contrato de Aquisição de Energia em Espanha, que prevê o fornecimento de 127,5 megawatts durante 15 anos à Procter and Gamble.

A elétrica portuguesa vai assim fornecer eletricidade produzida por uma central solar de 100 megawatts e por uma central eólica de 47,5 megawatts, estimando que sejam evitadas “mais de 130 milhares de toneladas de emissões anuais de CO2.

Recomendadas

S&P 500 inverte tendência de abertura e fecha no verde na antecâmara de resultados do sector tecnológico

Numa semana que verá gigantes tecnológicos como a Netflix ou a Tesla reportarem os seus resultados do terceiro trimestre, a expectativa quanto a números fortes quanto ao sector empresarial norte-americano acabou por levar a melhor face às preocupações do início da sessão causadas pelos desapontantes dados macro vindos dos EUA e da China.

PSI-20 fecha em queda alinhada com bolsas da Europa que foram afetadas pela China

O índice lisboeta fechou com 11 títulos em queda, dos quais se destacam os da Jerónimo Martins que recuaram -2,47%, os da Sonae que perderam -1,35% e os do BCP que voltaram a cair. Na Europa, os ventos asiáticos derrubaram bolsas. Crise energética faz subir yields.

Wall Street começa semana no vermelho depois de dados desapontantes nos EUA e China

A semana arrancou com dados negativos sobre a produção industrial americana e chinesa, onde os números do crescimento no terceiro trimestre também desapontaram ao mostrar uma evolução do PIB abaixo do esperado.
Comentários