Bolsa portuguesa acompanha Europa em alta. EDP e EDP Renováveis impulsionam PSI 20

Entre as principais praças europeias, o alemão DAX soma 0,42%, o britânico FTSE 100 sobe 0,38%, o francês CAC 40 ganha 0,44% e o espanhol Ibex 35 valoriza 0,18%.

A bolsa portuguesa negoceia em terreno positivo esta quinta-feira, em linha com as principais praças europeias. O principal índice bolsista português (PSI 20) avança 0,34% para 5.042,59 pontos.

Entre as principais praças europeias, o alemão DAX soma 0,42%, o britânico FTSE 100 sobe 0,38%, o francês CAC 40 ganha 0,44% e o espanhol Ibex 35 valoriza 0,18%. Os investidores prolongam os ganhos da sessão de quarta-feira, depois da Reserva Federal dos Estados Unidos ter manifestado a necessidade de ver um maior progresso na recuperação económica antes de recuar no programa de recompra atual, de acordo com as minutas da reunião de março que foram divulgadas ontem. Os responsáveis de política monetária minimizaram os riscos de inflação, atribuindo a subida das taxas de juro do Tesouro a perspetivas de crescimento mais fortes.

Na bolsa portuguesa, o grupo EDP impulsiona o PSI 20. A EDP Renováveis avança 1,29%, para 18,89 euros, e a EDP ganha 0,74%, para 5,15 euros. As papeleiras Semapa (0,98%) e Altri (0,94%) também contribuem para o arranque positivo do PSI 20.

Refira-se que a Semapa está a valorizar desde que a família Queiroz Pereira reviu em alta o preço da OPA sobre a Semapa de 11,4 para 12,17 euros.

A holding familiar das herdeiras de Pedro Queiroz Pereira decidiu subir em 6,8% o preço oferecido na OPA sobre a Semapa. Esta subida de 77 cêntimos representa um prémio de 46,5% face ao preço médio ponderado das ações da Semapa nos seis meses anteriores ao lançamento da OPA (8,3 euros por ação).

Em terreno negativo destaca-se a Galp Energia, que perde 0,19% para 3,09 euros, travando o PSI 20 de obter maiores ganhos. A petrolífera nacional negoceia em linha com o mercado petrolífero, numa altura em que a pandemia está a agravar-se em regiões chave para o consumo de petróleo depois da Organização de Países Exportadores de Petróleo ter decidido alargar a oferta nos próximos meses. Em Londres, o Brent cai 0,66%, para 62,72 dólares, enquanto o WTI, negociado em Nova Iorque, perde 0,92% para 59,23 dólares.

No mercado cambial, o euro aprecia 0,11% face ao dólar, para 1,1883 dólares. Na relação com a libra, a moeda da zona euro deprecia 0,08% para 0,8634 libras. Já a libra aprecia 0,21% perante o dólar, para 1,3761 dólares.

Ler mais

Recomendadas

“Mercados em Ação”. “Principal fator para a força do euro é a fraqueza do dólar”

“Penso que os dois fatores contribuem. O principal fator que contribui para a força do euro será a fraqueza do dólar, neste momento. Claro que temos também o aumento do apetite pelo risco”, salientou o analista sénior Ricardo Evangelista no programa da JE TV.

Grupo EDP dispara em bolsa em reação ao compromisso de redução de emissões em 50% dos EUA

O grupo energético português juntou-se a mais 406 empresas que pediram à administração de Joe Biden que assumisse compromissos climáticos mais “ambiciosos” no dia em que decorre a Cimeira para o Clima.

Bancos e tecnológicas mantêm Wall Street em queda

Os três principais índices abriram no ‘vermelho’. “Ações ligadas a energias renováveis também merecem atenção, na véspera da cimeira ambiental organizada por Biden e que contará com a presença do presidente chinês”, refere o analista Ramiro Loureiro.
Comentários