Bolsa portuguesa acompanha Europa em queda. Setor energético pressiona PSI 20

Na bolsa portuguesa, 13 empresas cotadas desvalorizam e cinco negoceiam em alta.

O principal índice bolsista português (PSI 20) perde 0,90%, para 4432,7 pontos, em linha com as principais praças europeias esta terça-feira, 14 de julho. Os investidores revelam-se conservadores, depois do fecho no vermelho de Wall Street, na segunda-feira, e das praças asiáticas, na sequência do aumento de número de casos de infeção por Covid-19, colocando em perspetiva a recuperação económica.

A bolsa de Tóquio fechou hoje em baixa, com o principal índice, Nikkei, a perder 0,87% para 22.587,01 pontos. Também o segundo indicador, o Topix, desceu 0,50% para 1.565,15 pontos no fim da sessão. Na China o CSI300 cedeu 1,81%.

Devido ao crescente número de casos de infeção pelo novo coronavírus, há países asiáticos a aplicar novas medidas de mitigação da difusão do surto epidemiológico, o que condiciona a retoma da economia.

Também os dados sobre o comércio externo da China condiciona os investidores. O comércio externo da China caiu 3,2%, no primeiro semestre de 2020, em termos homólogos, e fixou-se nos 14,24 biliões de yuan (1,79 biliões de euros), segundo dados publicados hoje pela Administração Geral das Alfândegas.

Na Europa, o Reino Unido anunciou que o seu produto interno bruto (PIB) avançou 1,8% em maio face a abril, mês em que tinha registado uma queda recorde de 20,3%.

Na bolsa portuguesa, 13 empresas cotadas desvalorizam e cinco negoceiam em alta. Os títulos da energia são os que mais prejudicam o PSI 20, com as quedas de EDP (-1,65%), EDP Renováveis (-1,75%), Galp (-0,48%) e REN (-0,80%).

Entre estas, destaque para a EDP, que na segunda-feira confirmou ter sido notificada pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) para ser constituída arguida no caso EDP.

Já esta manhã, a empresa informou o mercado que vai encerrar a central a carvão de Sines em 2021. Depois de fechar esta central, a companhia pode vir a participar no projeto de hidrogénio verde que está a ser planeado para Sines, possibilidade que ainda está a ser estudada pela EDP.

Os títulos da Pharol (-179%), NOS (-0,79%), Sonae Capital (-0,78%) e CTT (-0,69%) também penalizam a negociação.

 

Ler mais

Recomendadas

Wall Street fecha mista com aumento do desemprego

A avalanche de dados macroeconómicos justifica a fraca performance da bolsa. Os dados do emprego semanal dão uma subida dos pedidos de subsídio de desemprego no país pela segunda semana consecutiva, até os 778 mil, muito pior do que o esperado pelo consenso do mercado. Isto pode deixar marcas persistentes no mercado laboral dos Estados Unidos.

CMVM tomou 22 decisões de contraordenação algumas das quais originam coimas que somam 700 mil euros

Na base das decisões da CMVM estão 11 processos relacionados com infrações por violação de deveres dos auditores; cinco processos por violação dos deveres dos intermediários financeiros; três processos por violação de deveres das entidades responsáveis pela gestão de Organismos de Investimento Colectivo; entre outros. A maioria das coimas aplicadas está suspensa.

Bolsa de Lisboa fecha com subida superior a 1%

CTT, EDP Renováveis e BCP subiram mais de 2%. As ações da tecnológica Novabase, que divulgou esta tarde ao mercado o Plano para a Igualdade de Género e Diversidade, caíram 0,61% para 3,27 euros.
Comentários