BPI e Ordem dos Advogados fazem acordo para beneficiar mais de 33 mil advogados

O protocolo assinado entre a Ordem e o banco prevê um pacote de benefícios para contas de utilização particular e de sociedades de advogados.

A Ordem dos Advogados (OA) e o BPI anunciaram esta quarta-feira que fizeram um acordo para beneficiar cerca de 33.500 advogados através de condições comerciais especiais no acesso a um pacote de produtos e serviços do banco.

O protocolo – assinado pelo presidente executivo indigitado do BPI, João Pedro Oliveira e Costa, e pelo bastonário Luís Menezes Leitão – prevê um pacote de benefícios aos advogados inscritos na Ordem, nomeadamente um produto que permite a gestão e movimentação de fundos que os juristas recebem dos clientes, no âmbito do exercício da atividade profissional, sem custos de manutenção.

Assim, o banco detido pelo CaixaBank desenhou uma oferta de produtos e serviços ajustada às necessidades destes profissionais, entre as quais condições vantajosas na adesão à conta valor protocolo BPI (particular) e conta commerce, para operações diárias das sociedades de advogados.

João Pedro Oliveira e Costa considera que este acordo “vai permitir a milhares de associados da OA aceder, em condições vantajosas, a produtos financeiros adequados às necessidades do dia-a-dia e ao apoio à gestão do seu negócio”. “Queremos mostrar o nosso compromisso com os advogados portugueses”, garantiu o CEO do BPI.

Já o bastonário Luís Menezes Leitão reiterou, na assinatura do protoloco, o “empenho da atual direção da OA em apoiar e proporcionar aos advogados as condições necessárias ao adequado desempenho da sua atividade profissional”, segundo a informação divulgada esta manhã à imprensa.

Recomendadas

Advogados celebram hoje o Dia Pro Bono em Portugal

O tema deste ano é: “O Pro Bono reinventado na resposta à(s) crise(s) – preparar o futuro”. O evento é organizado pela Associação Pro Bono Portugal, Cuatrecasas, FCB Advogados, PLMJ, Sérvulo & Associados, SRS Advogados, VdA e pelo programa de apoio jurídico da Reuters, o TrustLaw.

“Regulação dos robôs vai exigir quebra de paradigma ontológico e epistemológico”

Eduardo Magrani defende que, antes de se pensar nas questões éticas em torno dos robôs há que compreender filosoficamente a ética dos animais, “que está atrasada”.

CPAS aprova plano de proteção de rendimentos para advogados, solicitadores e agentes de execução com incapacidade temporária de trabalho

O seguro de acidentes pessoais e de doença foi desenvolvido pela AIG e permite que os beneficiários beneficiem de uma proteção que lhes garante, nas situações previstas, o pagamento equivalente a 70% da remuneração convencional mensal por si escolhida, sendo que os prémios são assumidos pelo sistema de previdência.
Comentários