Brasil lança portal para impulsionar mobilidade académica internacional

A plataforma online, lançada durante a conferência anual da FAUBAI em Belém do Pará, disponibiliza mais de 1.300 atividades e cursos para estudantes estrangeiros.

O Brasil olha cada vez mais para fora na área da educação superior. Prova disso é o lançamento de uma plataforma online, que visa impulsionar a mobilidade académica internacional. “Para podermos atuar de forma mais ativa na área da educação internacional, precisamos oferecer oportunidades em língua estrangeira”, explica Renée Zicman, diretora executiva da FAUBAI – Associação Brasileira de Educação Internacional a Jornal Económico.

A iniciativa foi lançada em Belém, do Pará, em abril, no decorrer da conferência anual desta organização, que juntou perto de seis centenas de especialistas em educação internacional brasileiros e estrangeiros e que o Educação Internacional acompanhou. Criada em 1988, a FAUBAI, promove o intercâmbio e a cooperação internacionais do ensino superior brasileiro, divulgando as instituições que a integram no mundo.

A plataforma, que já está online e foi desenvolvida em parceria com o British Council, disponibiliza uma oferta de mais de 1.300 atividades, cursos e diplomas em língua estrangeira, oferecidos no Brasil para o estudante internacional. Mais de 70 instituições aderiram ao projeto, aí mostrando cada uma a sua oferta, que abarca também atividades na área da cultura brasileira e da cultura latino-americana e cursos, programas e diplomas em português, como língua estrangeira para estrangeiros. “Precisamos reforçar a valorização da língua portuguesa e da cultura brasileira, uma valorização da região da América Latina e de todo o universo lusófono”, salienta Renée Zicman.

Este portal, ou se preferirmos, este guia online, tem como objetivo mapear e atualizar informação sobre a oferta de formação em língua inglesa, o mais global veículo de expressão dos nossos dias, e em outras línguas estrangeiras. Disponibiliza, assim, atividades oferecidas por instituições de ensino superior brasileiras, que respondem a uma tendência cada vez mais internacionalizante e refletem um crescimento sustentado na oferta de atividades em inglês e outras línguas, incluído português para estrangeiros. Objetivo? “Impulsionar a mobilidade académica internacional no Brasil, que está a crescer, mas ainda em patamar distante da realidade europeia, onde existe o programa Erasmus, que revolucionou de todo um continente”, sublinha Zicman.

Recomendadas

Tecnologia OutSystems integra plano curricular de 13 universidades portuguesas

Programa, lançado há um ano, oferece licenciamento gratuito da plataforma low-code às universidades que queiram usá-lo para fins educacionais.

Investigadores de Coimbra vão ajudar a impulsionar ensino da astronomia no mundo

Nuno Peixinho e Rosa Doran representam Portugal no recém-criado gabinete de ensino da União Astronómica Internacional, que visa promover a astronomia nos currículos nacionais.

Reitores de universidades querem aulas presenciais em setembro e verba no Orçamento Suplementar

O Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas antevê uma quebra das receitas próprias das instituições em virtude da crise pandémica e pede ao Governo que acautele o problema no Orçamento que está a preparar.
Comentários