British Airways anuncia suspensão de todos os voos para a China

As companhias aéreas Lion Air, Cathay Pacific, Asiana, Jeju Air, Jin Air e Air Seoul também já anunciaram suspensão ou cancelamento de voos para território chinês por causa do coronavírus, que já matou 132 pessoas.

A transportadora aérea britânica British Airways anunciou esta quarta-feira que vai suspender todo os voos para a China, evitando viagens para o país por causa do coronavírus (2019-nCoV), que já provocou mais de 132 mortos. A decisão da companhia aérea está em linha com as diretivas das autoridades do Reino Unido quanto ao coronavírus.

“Suspendemos todos os voos de e para a China continental, com efeito imediato, após a recomendação do Ministério dos Negócios Estrangeiros [britânico]”, afirmou a companhia aérea britânica num comunicado, citado pela Agência France Presse (AFP).

Também as companhias Lion Air, da Indonésia, anunciou suspensão dos voos para a China. Também a transportadora aérea russa Ural Airlines, anunciou a suspensão de todos os voos para a Europa por causa do coronavírus – esta companhia voa para cidades europeias como Munique, Paris e Roma.

A justificação da Ural Airlines, segundo a agência de notícias TASS, é de que se trata de uma “medida restritiva a turistas chineses e russos” que transitem entre a China e o continente europeu.  Os voos desta companhia para a Europa são “tradicionalmente frequentados por grandes grupos de excursões organizadas da China”.

Além destas, segundo o “Cinco Días” também a companhia aérea Cathay Pacific, de Hong Kong, anunciou a redução dos seus voos para a China em 50%. A norte-americana United Airlines cancelou, entretanto, 24 voos que teriam como destino as cidades de Pequim, Xangai e Hong Kong. As companhias Asiana, Jeju Air, Jin Air e Air Seoul também cancelaram voos para território chinês.

As autoridades de saúde chinesas anunciaram 5.974 casos confirmados de contaminação na China continental, mais 1.400 em relação a terça-feira, e elevaram o número de mortes para 132.

Na Alemanha as autoridades de saúde confirmaram mais três casos de contágio pelo novo coronavírus (2019-nCoV) detetado na China, aumentando para quatro o número de contagiados naquele país. A Alemanha é o segundo país na Europa afetado pelo surto, depois de França.

Além do território continental da China, de França e Alemanha, também foram reportados casos de infeção em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Austrália e Canadá.

Os sintomas associados à infeção causada pelo coronavírus com o nome provisório de 2019-nCoV são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, como falta de ar.

Ler mais
Recomendadas

Desafios aos quais as organizações devem responder

É importante que os líderes atuem como agentes de mudança e articulem claramente as vantagens para a elevada satisfação no trabalho, incluindo a formação das chefias nas suas responsabilidades essenciais.

“Mercados em Ação”. “Vitória de Joe Biden nos EUA vai ajudar muito a EDP”

Na última edição do programa “Mercados em Ação”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio, analisou os desafios do novo CEO da EDP, Miguel Stilwell, escolhido esta semana para gerir os destinos da elétrica até 2023.

“Mercados em Ação”. “Galp está a transformar-se. Fecho da refinaria de Matosinhos foi um exemplo”

Futuro da Galp e os desafios do seu novo CEO, Andy Brown, foram temas abordados na última edição do programa “Mercados em Ação”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio.
Comentários