Burlões esvaziam conta de general angolano

António França, “Ndalu”, foi burlado em cerca de 110 mil euros. Grupo está a ser julgado em Lisboa, segundo o “JN”.

O general angolano António França (“Ndalu”) foi burlado em cerca de 110 mil euros por um grupo que está a ser julgado em Lisboa, revela o “Jornal de Notícias” (JN) na edição desta sexta-feira.

O grupo conseguiu esvaziar a conta do ex-ministro de Angola por causa da cumplicidade que tinha com um funcionário do banco BIC (atual EuroBic) na Maia, de acordo com a acusação do Ministério Público da Amadora.

Segundo o JN, o “General dos Generais”, que chegou a jogar futebol no Sporting, não chegou a apresentar queixa aquando do sucedido, porque a instituição bancária repôs a quantia meses depois. Em 2017, o gerente envolvido no caso foi suspenso.

Os burlões (com idades compreendidas entre os 29 e os 54 anos) estão a responder na justiça portuguesa por branqueamento de capitais, falsificação de documentos, violação de segredo agravado e acesso ilegítimo, segundo o diário portuense.

Recomendadas

Vaz das Neves utilizou Tribunal da Relação de Lisboa para ganhar 280 mil euros em julgamento privado

Em causa estava um litígio entre o grupo Altis e o fundo de investimento Explorer relacionado com o Altis Park, uma unidade hoteleira situada nas Olaias, em Lisboa.

Operação Lex: Conselho da Magistratura recusa presença de sindicato de juízes em reunião plenária

A Associação Sindical dos Juízes anunciou hoje que pediu para estar representada na próxima reunião plenária do Conselho Superior da Magistratura que vai discutir o caso dos sorteios eletrónicos do Tribunal da Relação de Lisboa e analisar os primeiros resultados das averiguações.

Operação Lex: Juiz Vaz das Neves arguido por corrupção e abuso de poder

A mesma fonte adiantou à agência Lusa que o juiz desembargador, jubilado desde 2016, tem como medida de coação termo de identidade e residência.
Comentários