Burlões esvaziam conta de general angolano

António França, “Ndalu”, foi burlado em cerca de 110 mil euros. Grupo está a ser julgado em Lisboa, segundo o “JN”.

O general angolano António França (“Ndalu”) foi burlado em cerca de 110 mil euros por um grupo que está a ser julgado em Lisboa, revela o “Jornal de Notícias” (JN) na edição desta sexta-feira.

O grupo conseguiu esvaziar a conta do ex-ministro de Angola por causa da cumplicidade que tinha com um funcionário do banco BIC (atual EuroBic) na Maia, de acordo com a acusação do Ministério Público da Amadora.

Segundo o JN, o “General dos Generais”, que chegou a jogar futebol no Sporting, não chegou a apresentar queixa aquando do sucedido, porque a instituição bancária repôs a quantia meses depois. Em 2017, o gerente envolvido no caso foi suspenso.

Os burlões (com idades compreendidas entre os 29 e os 54 anos) estão a responder na justiça portuguesa por branqueamento de capitais, falsificação de documentos, violação de segredo agravado e acesso ilegítimo, segundo o diário portuense.

Recomendadas

Ministério Público opôs-se à libertação de Rui Pinto justificada com “consistente colaboração”

O arguido, que estava desde 08 de abril deste ano em prisão domiciliária e proibido de aceder à Internet, vai sair em liberdade, mas “sujeito à medida de obrigação de apresentações periódicas semanais junto de autoridade policial”.

Hacker português Rui Pinto vai ser libertado

Fundador do “Football Leaks” vai aguardar julgamento em liberdade, depois de quatro meses de prisão domiciliária e um de preventiva.

BES e ESFG em disputa judicial pela ES Health Care Investment

A ESFG e o BES arrastam um processo judicial de disputa pela participação de 17,74% na Espírito Santo Health Care Investment e os dividendos que esta distribuiu ao BES no valor de 9,23 milhões. Mais recentemente a ESFG impugnou a lista de credores reconhecidos pelo BES, junto do Tribunal do Comércio, por não estar lá reconhecido o seu direito a esses ativos, o que o BES ainda vai contestar.
Comentários