Calheta nos Açores e Portalegre são as localidades “mais acessíveis” para se viver em Portugal

O Imovirtual recolheu dados em relação aos preços das casas em Portugal, considerando cada cidade principal em cada município juntamente com o preço médio de uma casa entre 2018 e 2019.

A localidade da Calheta nos Açores é considerada a mais acessível para viver em Portugal, enquanto a mesma freguesia, mas na região autónoma da Madeira, é vista como tendo o maior potencial de investimento imobiliário. Esta informação é revelada pelo Índice de Habitação Urbana (HU) e o Índice de Investimento em Habitação Urbana (IHU) de 2019, pelo Imovirtual, esta segunda-feira, 2 de dezembro.

A plataforma imobiliária avaliou as localidades de norte a sul do país, passando pelas regiões autónomas da Madeira e dos Açores, para apurar onde é mais acessível viver e onde estão os melhores investimentos. Os Açores destacam-se no índice de HU, e o distrito de Évora no índice de IHU.

O Imovirtual recolheu dados em relação a preços de casas em Portugal, considerando cada cidade principal em cada município juntamente com o preço médio de uma casa entre 2018 e 2019. No índice de HU, a Calheta e Lajes do Pico (Açores) e o distrito de Portalegre são as localidades com melhor classificação para se viver em Portugal.

A cidade de Lisboa (28º), com o salário médio anual de 25,169 euros e um preço médio de propriedade de 577 euros, ocupa o último lugar desta lista.

Entre as principais conclusões do índice de IHU, Calheta (Madeira), Évora e Vila do Porto (Açores) formam o top 3 deste ranking. Este índice contabiliza o preço médio de cada propriedade entre 2018 e 2019. Castelo Branco e São Roque do Pico ocupam os dois últimos lugares da lista com desvalorizações do valor médio de propriedade de 27,98% e 55,74%, respetivamente.

Para determinar as melhores áreas para investimento, o Imovirtual calculou o aumento de preço para cada área em apenas 12 meses ao subtrair o preço de 2018 pelo preço de 2019.

Ler mais
Recomendadas

PremiumClaude Kandiyoti: “É mais rápido construir um projeto do que obter licenciamento”

Promotor belga assume que os processos burocráticos estão a criar um problema no setor imobiliário, mas manifesta a vontade de investir 300 milhões de euros em Portugal nos próximos cinco anos.

Lojistas de centros comerciais só terão de pagar parte variável das rendas até 31 de março de 2021

Proposta comunista limita pagamentos à parte calculada em função das vendas de cada loja, ficando a componente fixa suspensa até ao segundo trimestre do próximo ano. E aponta apoios a arrendatários habitacionais e a senhorios que tenham os rendimentos prediais reduzidos abaixo da subsistência.

Coimbra, Viana do Castelo e Évora com as maiores subidas nos preços das casas

Tendo em conta o balanço dos preços do último ano, Coimbra foi a cidade com a maior subida de preço, com um aumento de 15,2%, seguido por Viana do Castelo com um aumento de 13,9% e de Évora, com 13%.
Comentários