Call centers da Meo e Nos com greves em 19 e 21 de março

Trabalho desgastante que exige formação contínua e tarefas de grande responsabilidade não pode ser pago com o salário mínimo nacional, defende Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual.

Os trabalhadores das empresas Manpower, Randstad, Egor, RHmais e Multitempo, a prestarem serviço nas operadores MEO e NOS, estarão em greve nos próximos dias 19 e 21 de março com concentração de protesto junto a alguns locais de trabalho, revela o Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual (SINTTAV).

Segundo este sindicato, os trabalhadores das empresas Manpower, Randstad, Egor, RHmais e Multitempo, a prestarem serviço nas operadores MEO e NOS, partilham dos mesmos problemas laborais.

O SINTTAV destaca que, no sector de telecomunicações, trabalhar num serviço de call center, back office ou loja, em contacto permanente com o público, “é um trabalho desgastante”, acrescentando que “exige formação contínua, capacidade de desenvolvimento de tarefas de grande responsabilidade que não pode ser pago com o salário mínimo nacional, como se tratasse de trabalhadores não qualificados”.

“O período da crise e das “troikas” já passou, estamos em 2019, a economia cresce e as empresas a terem mais lucros, onde está a parte dos trabalhadores?”, questionado o sindicato, recordando que os “call centers triplicam facturação mas salários baixam”

Para o SINTTAV esta realidade vem comprovar as condições em que os trabalhadores laboram nos call centers e reforçar a posição “critica e reivindicativa” deste sindicato que, diz,  exige salários compatíveis com o nível de qualificação no desempenho das funções.

Na próxima terça-feira, 19 de março, , a concentração decorrerá, a partir das 10h30 até as 12h00, junto ao Contact Center da MEO Altice, em Santo Tirso, local onde se encontram a trabalhar cerca de meio milhar de trabalhadores. Já no dia 21 de março, decorrerá a partir das 10h30 até as 12h00, junto ao edifício da NOS, em Campanhã, no Porto.

Ler mais
Recomendadas

Teixeira dos Santos: “Não tenho razões para me arrepender” da escolha de Carlos Santos Ferreira e Armando Vara

O Estado “nunca interferiu em qualquer operação” da Caixa Geral de Depósitos, garantiu ainda o ex-ministro das Finanças, na última comissão parlamentar de inquérito aos atos de gestão e recapitalização do banco público, que se realizou esta quarta-feira.

Apple considera mudar até 30% das operações da China para o Sudeste Asiático

A Índia e o Vietname são as opções cimeiras para a gigante tecnológica. A corretora Wedbush Securities sublinha que levaria pelo menos 2 a 3 anos a transferir 15% da produção de iPhones da China para outras regiões.

TAP concretiza maior operação em Bolsa desde 2012 no valor de 200 milhões de euros

A dona da companhia aérea nacional divulgou esta quarta-feira à tarde os resultados da oferta pública de subscrição das “Obrigações TAP 2019-2023”. O Jornal Económico sabe que a TAP quer captar mais 350 a 400 milhões de euros em futura abertura de capital.
Comentários