Campo Pequeno já está vendido a Álvaro Covões, António Pires de Lima e Sérgio Monteiro

A assinatura do contrato realizou-se ontem, quinta-feira, segundo confirmou fonte próxima do processo ao Jornal Económico. O negócio acontece depois da insolvência da Sociedade de Renovação do Campo Pequeno decretada em 2014.

A assinatura do contrato venda do Campo Pequeno por 37 milhões de euros, ao empresário Álvaro Covões e ao fundo Horizon Equity Partners, de António Pires de Lima e Sérgio Monteiro, realizou-se ontem, quinta-feira, segundo confirmou fonte próxima do processo ao Jornal Económico

Álvaro Covões, que participa através de uma sociedade sua que não é a Everything is New, vai ficar a gerir a arena do Campo Pequeno (incluindo a realização de espectáculos) e o centro comercial. Já o fundo de António Pires de Lima e de Sérgio Monteiro, antigo secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações de Pedro Passos Coelho, vai gerir o parque de estacionamento.

Não há ainda informação sobre se a Praça mantém a realização das tradicionais Corridas de Toiros.

O Jornal Eco avançou na semana passada com a notícia de que o empresário Álvaro Covões e o fundo Horizon,  ganharam o concurso do Campo Pequeno. Na altura ainda não tinha sido assinado o contrato, o que acabou por acontecer nesta quinta-feira.

O negócio acontece depois da insolvência da Sociedade de Renovação do Campo Pequeno decretada em 2014 e posterior designação de uma administradora de insolvência, Paula Mattamouros Resende. Em 2014 as dívidas já ultrapassavam, de resto, os 100 milhões de euros.

Álvaro Covões é promotor de concertos e espetáculos no país. É fundador e diretor geral da Everything is New, que organiza o festival Nos Alive, por exemplo.

Já o fundo Horizon é especializado em gestão de infraestruturas, foi criado por António Pires de Lima e por Sérgio Monteiro e está associado ao consórcio da Morgan Stanley nas torres de telecomunicações que em consórcio compraram à Altice.

Ler mais
Recomendadas

Família Azevedo aumenta o preço da OPA sobre a Sonae Capital em 10%

A Efanor, holding da família Azevedo, reviu em alta o preço da Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a Sonae Capital. Paga agora 77 cêntimos em vez dos anteriores 70 cêntimos. Esta OPA sobre a Sonae Capital decorre em simultâneo com uma oferta sobre a Sonae Indústria. O Grupo Sonae quer retirar ambas de bolsa.

Monese e Mastercard fazem parceria europeia

O objetivo do acordo é oferecer serviços bancários locais para consumidores em toda a Europa, incluindo em Portugal. Os clientes das contas multi-currency da ‘fintech’ britânica passam a ter acesso à rede global de aceitação de cartões Mastercard.

CP assinou contrato para compra de 22 novos comboios por 158 milhões de euros

A CP prevê que a entrega da primeira unidade aconteça no final de 2024, sendo que o processo ainda terá de passar pelo Tribunal de Contas.
Comentários