Canadá promete retaliar contra novas tarifas norte-americanas

Se os Estados Unidos voltarem a impor tarifas aos produtos canadianos com base no alumínio, como fizeram em 2018, o Canadá responderá aplicando tarifas retaliatórias.

Donald Trump

Se os Estados Unidos voltarem a impor algumas tarifas aos produtos canadianos com base no alumínio, o Canadá responderá aplicando tarifas retaliatórias sobre os produtos norte-americanos, disse uma fonte do governo esta quinta-feira.

“Vamos reagir de forma muito semelhante à última [vez que foram impostas novas] tarifas”, disse uma fonte do governo canadiano ouvida pela agência Reuters, falando pouco antes de o presidente Donald Trump confirmar que estava a impor medidas punitivas contra o Canadá.

Em junho de 2018, depois de Trump anunciar sanções contra as importações de produtos canadianos de aço e alumínio, o Canadá impôs medidas punitivas que afetaram 16,6 mil milhões de dólares (cerca de 12,5 mil milhões de euros) em produtos norte-americanos.

Trump decidiu suspender as sanções em 2019, no que foi visto como uma tentativa de normalizar as relações comerciais com o vizinho do norte, tradicional cliente e fornecedor dos Estados Unidos.

O regresso das sanções pretende defender, segundo a Casa Branca, a produção norte-americana, mas as empresas que usam o alumínio e o aço canadiano, mais barato em alguns casos, não parecem ter ficado satisfeitas com a decisão da administração Trump.

Os analista referem que esta nova ‘ronda’ de sanções contra o Canadá deve ser compreendida à luz da campanha eleitoral em curso nos Estados Unidos. Trump venceu as eleições anteriores muito por causa da sua visão defensiva do comércio internacional, e está a tentar reutilizar o mesmo tipo de argumentos numa altura em que uma reeleição parece estar cada vez mais difícil.

O Canadá é que parece não estar disponível para aguentar com os efeitos colaterais da campanha e, se tiver mesmo de impor retaliações, nada indica que as motivações de Trump venham a ser atingidas.

Ler mais
Recomendadas
tik tok

Tik Tok lança guia para combater ‘fake news’ nas presidenciais norte-americanas

A empresa admite que “não é a aplicação ideal para notícias de última hora ou política” mas explica que sabe que “um lar onde os norte-americanos se expressam”. O objetivo é apoiar os utilizadores com informações credíveis sobre questões públicas dos Estados Unidos.

Biden e Trump defrontam-se pela primeira vez. Pandemia, tensão racial e impostos do presidente são os temas quentes

Com o aproximar das eleições presidenciais norte-americana, o primeiro debate realiza-se no meio de uma grande tensão política e social nos EUA, dada a pandemia e os protestos raciais que se seguiram à morte de George Floyd.

Bolsonaro diz que subsídios para os mais pobres na luta contra a pandemia não são eternos

De acordo com a imprensa brasileira, Bolsonaro justifica o aumento da despesa pública com a atribuição de subsídios aos mais carenciados, para mitigar efeitos da pandemia da Covid-19. Contudo, o presidente do Brasil diz que apoios não são para sempre.
Comentários