Candidatos nacionais ao World Summit Awards já foram selecionados

Oito apps portuguesas que acabam de ser selecionadas por um júri liderado pela APDC – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações.

Já foram selecionados os vencedores portugueses para cada uma das oito categorias da edição deste ano do World Summit Awards (WSA), um concurso anual que decorre no âmbito das Nações Unidas que promove e seleciona inovações digitais locais com impacto global na sociedade. Trata-se de uma plataforma internacional que combina um conjunto de eventos com uma rede global de empreendedores, peritos, mentores, líderes de governo, académicos e sociedade civil.

Os projetos nacionais têm vindo a destacar-se nesta iniciativa mundial, que mobiliza projetos vindos de mais de 180 países, sendo escolhidos os 40 melhores – cinco por cada uma das categorias a concurso – que marcam presença no WSA Global Congress, agendado já para 9 a 11 de março de 2020, em Viena, na Áustria. Neste evento final, serão ainda eleitos os oito Global Champions.

O processo de seleção nacional voltou a ser coordenado pela APDC, com o júri de seleção – que foi mais uma vez liderado por Roberto Carneiro, antigo ministro da Educação – a eleger de entre 30 projetos candidatos os 8 melhores, um por cada categoria a concurso.

De acordo com o calendário definido pela organização, depois de selecionados os projetos nacionais de cada país, segue-se, em agosto, a pré-seleção dos melhores 15 a 18 projetos em cada uma das oito categorias por um júri online de peritos internacionais. Estes serão depois analisados por um Grand Juri, que se reunirá em setembro e elegerá os projetos vencedores, a anunciar em dezembro. Os 40 WSA Winners estarão presentes no WSA Global Congress, agendado para março de 2020.

Entre os benefícios de integrar o WSA, destacam-se o convite para a participação no WSA Global Congress (com viagens e estadia incluídas para os 40 WSA Winners), a possibilidade de networking, o acesso a redes mundiais de inovação, a partilha de conhecimento com os produtores de e-conteúdos mais inovadores do mundo e as possibilidades de negócio, de financiamento e de parcerias.

Como tem acontecido em anos anteriores, candidataram-se todo o género de aplicações digitais com impacto na sociedade: apps móveis, páginas web, quiosques eletrónicos e produtos baseados em SMS, entre outros. Na última edição, de 2018, estiveram entre os 40 WSA Winners as apps nacionais “Via Verde mobility digital ecosystem” e “Body Interact”. Em 2017, foram também vencedores outros dois projetos portugueses: as apps SnapCity e Citypoints Cascais. Esta última, da Câmara Municipal de Cascais, foi mesmo eleita como um dos Global Champions do World Summit Awards.

Os oito candidatos nacionais são, por categorias:

– “Government & Citizen Engagement” – meuParlamento.pt: Lembra-se qual foi a última decisão tomada pela Assembleia da República? A que foi tomada ontem ou há uma semana? Agora imagine que o Parlamento pode falar diretamente consigo sempre que vota uma lei. É este o objetivo de o meuParlamento.pt, ser uma aplicação digital que lhe permite tornar-se membro do Parlamento sempre que quiser. Será convidado a votar um conjunto de dez propostas já debatidas, descobrindo mais tarde qual o partido votou de maneira mais semelhante à sua. Tudo isto, claro, enquanto recebe toda a informação e contexto sobre a legislação em causa.

– “Health & Well Being” – SNS24 – É o ponto de encontro digital entre o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e os cidadãos. É neste espaço omnicanal que as pessoas encontram a informação de que necessitam, desde a área clínica à administrativa, oferecendo ainda vários serviços. O serviço permite ao SNS a realização de uma triagem telefónica dos doentes, marcação de consultas ou a simples navegação pelo universo que compõe o SNS. O SNS24 tem contribuído para melhorar a literacia de saúde, consolida o empoderamento dos cidadãos e melhora a eficácia e gestão do SNS.

– “Learning & Education” – TV T21 – Com conteúdos em várias línguas e vídeos interativos, a T21 Web Tv COMmunity é uma plataforma gratuita que promove a aprendizagem online, promovendo e contribuindo para a melhoria da inclusão social e o emprego de jovens europeus portadores do Síndrome de Down nas áreas do turismo e e-skills. Este projeto, desenvolvido pela Escola Superior de Educação, do Instituto Politécnico de Santarém com vários parceiros, mereceu o apoio do ERASMUS+.

– “Environment & Green Energy” – GoParity – É a primeira plataforma de investimento portuguesa que liga cidadãos que querem investir as suas poupanças em projetos que visem a sustentabilidade e que estejam à procura de financiamento (crowdlending). Os projetos são abrangentes, desde ideias que visam projetos ligados à energia, ao ecoturismo aos projetos de moda sustentáveis. A plataforma já soma mais de 1,2 milhões de euros de investimento captado junto de mais de 2.500 investidores. Bastam 20 euros para ir a jogo, sendo o retorno de até 6% ao ano. A plataforma quer transformar-se numa espécie de ‘banco verde’.

– “Culture & Tourism”- SENSEOS – Quer acompanhar o que está a acontecer em milhares de zonas arqueológicas pelo mundo fora, de modo a identificar os riscos a que estão sujeitas, como escavações, roubos, agricultura intensiva, construções ilegais ou danos provocados por eventos naturais? É isso que faz esta plataforma digital, usando para esse efeito informação recolhida via satélite. Além do ponto da situação sobre as zonas arqueológicas, o SENSOS permite também medir a integridade das infraestruturas e até medir a solidez dos terrenos mesmo nas condições meteorológicas mais adversas.

– “Smart Settlements & Urbanization” – eParkio – Tem um veículo elétrico e precisa de recarregar? Esta aplicação identifica os pontos de energia, reserva um para si e permite-lhe pagar o serviço sem sair da aplicação. O eParkio oferece outro serviço: se tiver uma frota de veículos elétricos, pode usar a aplicação para os agregar a todos, verificar o seu nível de abastecimento, custos e pagamentos. Além do utilizador individual ou empresarial, o verdadeiro vencedor é a cidade, já que esta aplicação permite reduzir o número de veículos à procura de postos de abastecimento livres.

– “Business & Commerce” – Internet of Cargo – Esta plataforma permite aos ativos que compõe a cadeia de abastecimento organizar-se de forma a otimizar as condições de produção e evitar desperdício e lixo.

– “Inclusion & Empowerment” – Dignitude – O acesso de todos os portugueses a medicamentos já não é apenas uma questão de saúde, é uma questão social que tem de ser resolvida. A Associação Dignitude é uma resposta ao problema, através do envolvimento dos setores da saúde, social, empresarial e também da sociedade civil. Já foram apoiadas 9.641 pessoas, permitindo-lhes o acesso a medicamentos a que, de outra maneira, não conseguiriam ter.

Em paralelo ao WSA, e no âmbito da parceria com a ANI – Agência Nacional de Inovação, será ainda atribuída a distinção BfK Awards a um dos vencedores portugueses, para premiar o melhor projeto de base científica e tecnológica. O BfK Awards é uma das iniciativas do Born from Knowledge (BfK), programa promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior através da ANI. O vencedor BfK Awards receberá o troféu “Árvore do Conhecimento”, terá a oportunidade de beneficiar de um processo de acompanhamento do seu projeto e poderá participar no WSA Global Congress 2020, na modalidade de participante, com viagens e estadias suportadas pela ANI.

Ler mais
Recomendadas

Empreendedorismo é o que vai permitir salto qualitativo no turismo, defende consultor estratégico da EY

O consultor da EY, Augusto Mateus, salientou que para dar esse salto qualitativo é preciso “conhecimento e capacidade de pensar e agir”.

Inovadores do setor financeiro podem candidatar-se ao novo Portugal FinLab até janeiro

A segunda edição do programa dos três reguladores do setor financeiro já está a receber inscrições de startups. A plataforma visa facilitar a comunicação entre as partes e oferecer ao mercado uma visão integrada dos requisitos regulatórios necessários para a adoção de inovações tecnológicas financeiras.

EY vai premiar “empreendedor do ano” e está a receber propostas de candidatos

É a 8ª edição do “EY Entrepreneur Of The Year”. Entre os anteriores vencedores estão António Rios Amorim (Corticeira Amorim), Belmiro de Azevedo (Grupo Sonae), Carlos e Jorge Martins (Grupo Martifer), Carlos Moreira da Silva (BA Glass), Dionísio Pestana (Grupo Pestana), Manuel Alfredo de Mello (Nutrinveste), Bento Correia e Miguel Leitmann (Vision-Box).
Comentários