CAP e Corteva vão financiar projetos inovadores das mulheres rurais em Portugal

Os três projetos finalistas recebem formação profissional e apoio na sua divulgação e a vencedora recebe um prémio de cinco mil euros para investir na implementação do seu projeto. O prazo de candidaturas vai decorrer até 7 de fevereiro de 2021.

A CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal e a Corteva Agriscience, empresa especializada em tecnologia de sementes sob a marca comercial Pioneer ‘TALENTA’, vão premiar com formação e financiamento os projetos inovadores das mulheres empreendedoras rurais, através do lançamento do programa ‘TalentA’ em Portugal.

Segundo os organizadores, este programa tem como objetivos apoiar e promover o empreendedorismo das mulheres rurais, com o prazo de candidaturas a decorrer até 7 de fevereiro de 2021.

Os três projetos finalistas recebem formação profissional e apoio na sua divulgação e a vencedora recebe um prémio de cinco mil euros para investir na implementação do seu projeto.

“A Corteva Agriscience, empresa de referência no setor agrícola em tecnologia de sementes sob a marca comercial Pioneer, proteção de culturas e agricultura digital acaba de anunciar um acordo de colaboração com a CAP (Confederação dos Agricultores de Portugal) para o lançamento do programa ‘TalentA’ em Portugal, uma iniciativa pioneira que tem como objetivo apoiar e promover o empreendedorismo das mulheres rurais”, explica um comunicado dos organizadores desta iniciativa.

De acordo com a nota, “este projeto, desenvolvido pela Corteva e já implementado noutros países, como Espanha, Ucrânia ou Roménia, tem como missão combater as escassas oportunidades de emprego no meio rural que levam as mulheres a deslocarem-se cada vez mais para zonas urbanas e proporcionar formação e financiamento aos projetos inovadores que se destacam no sector agrícola e agroalimentar entre as empreendedoras rurais”.

“O programa visa elevar o papel que as mulheres desempenham como agentes essenciais na sociedade e apoiá-las no desenvolvimento dos seus próprios projetos num compromisso com o futuro do mundo rural”, assinala o mesmo comunicado.

Clara Serrano, líder da Corteva Agriscience do Sul da Europa, destacou que “numa altura em que o setor enfrenta tantos desafios, estamos muito satisfeitos por lançar este programa em Portugal e ansiosos por conhecer os projetos que serão apresentados nesta 1ª edição”.

“Na Corteva, sabemos que o contributo das mulheres é fundamental para garantir a sobrevivência da área agrícola e pecuária, bem como das áreas rurais. Trabalhamos diariamente para promover uma agricultura mais sustentável, equilibrada e fomentar a inclusão das mulheres em todos os eixos da cadeia produtiva”, defende esta responsável.

Para fazer parte da 1ª edição do programa ‘TalentA’ em Portugal, as interessadas ​​podem submeter a sua candidatura através do site www.programatalenta.pt até 7 de fevereiro de 2021.

No ‘site’, estão disponíveis todas as informações e etapas necessárias para concluir o processo de envio das inscrições.

“Podem concorrer a este programa todas as empreendedoras rurais com projetos nas áreas agrícolas e agroalimentares desenvolvidos em meios rurais até 20.000 habitantes (exceto ilhas, localidades rurais ou distritos com maior dispersão geográfica) e com projetos em fase inicial e de planeamento ou já implementados em ambientes rurais e que desejam iniciar uma nova linha de negócio ou melhorar a que já têm”, assegura o referido comunicado.

A CAP e a Corteva adiantam que, “após o período de inscrições, as duas entidades vão trabalhar em conjunto na seleção dos projetos vencedores, cujos critérios de avaliação serão assentes na inovação, no combate à desertificação, no impacto e sustentabilidade, empoderamento económico e possibilidade de expansão do modelo de negócio”.

“Serão selecionados três projetos finalistas entre as candidaturas recebidas. O primeiro prémio recebe um apoio financeiro de cinco mil euros para investir na implementação do seu projeto e terá acesso a um programa de formação ao longo de 2021. O segundo e terceiros prémios, respetivamente, vão contar com acesso ao programa de formação promovido pela CAP para dotar os projetos de mais ferramentas de trabalho e métricas de sucesso”, revela o mesmo documento.

Por sua vez, Luís Mira, secretário geral da CAP, destacou que “a nossa missão é defender os interesses da agricultura portuguesa no país e no estrangeiro e, por isso, não podíamos estar mais honrados com este acordo que visa capacitar as mulheres agricultoras portuguesas e apoiá-las nos seus projetos”.

“O programa ‘TalentA’ é uma oportunidade única para todas as mulheres que têm a vontade e o desejo de lançar projetos e negócios inovadores, contribuindo para alcançar os seus sonhos e amenizar os problemas que continuam a afligir o nosso meio rural, entre eles o envelhecimento e a desertificação, bem como contribuir para a igualdade de género”, destacou este responsável.

As vencedoras desta iniciativa serão anunciadas pela Corteva e pela CAP no dia 8 de março de 2021, no Dia Internacional da Mulher.

A Corteva Agriscience afirma-se como “uma sociedade global com capital aberto que opera exclusivamente no setor agrícola e que oferece o portefólio mais completo da indústria aos produtores agrícolas de todo o mundo – incluindo uma mistura equilibrada e diversificada de sementes, produtos para a proteção das culturas e soluções digitais centradas em maximizar a produtividade para aumentar a produção e os lucros”.

“Com algumas das marcas mais reconhecidas na agricultura e um canal de tecnologia e produtos líder da indústria bem posicionado para impulsionar o crescimento, a empresa está comprometida em colaborar com os acionistas ao longo do sistema alimentar à medida que cumpre a sua promessa de melhorar as vidas daqueles que produzem e daqueles que consomem, com a garantia de um progresso para as gerações futuras. A Corteva Agriscience tornou-se uma sociedade anónima independente no dia 1 de junho de 2019, sendo que anteriormente era a Divisão de Agricultura da DowDuPont”, revela o comunicado em questão.

A CAP é uma organização sócio-profissional agrícola que agrupa cerca de 250 organizações de todo o país, as quais se traduzem em federações, adegas, associações regionais, correspondentes às principais zonas agrícolas de Portugal, associações especializadas por sector técnico e cooperativas.

Ler mais
Recomendadas

POSEI assegurado até 2022 mas depois terá corte de 3,9%, diz ministra da Agricultura

“Portugal, em sede de negociação do quadro financeiro, defendeu a manutenção deste envelope financeiro. Não foi possível”, referiu Maria do Céu Antunes no parlamento.

Primeira edição da ‘Digital Agrifood Summit Portugal’ arranca a 20 de janeiro

O objetivo desta iniciativa digital, em que já está confirmada a presença de 75 empresas nacionais do sector agroalimentar, é reforçar a vertente exportadora desta área de atividade.

Porto de Sines aposta no potencial do agronegócio com o Brasil

Após contactos diretos entre os dois Ministérios da Agricultura, está em cima da mesa a possibilidade de implantação em Sines de um terminal para exportação de frutas e carnes brasileiras para outros países europeus, para o norte de África e para o Médio Oriente. Nesse sentido, já foi assinado um protocolo entre a Comunidade Portuária de Sines e a Câmara de Comércio Brasil-Portugal Centro Oeste.
Comentários