Capgemini coordena implementação de programa de proteção de dados da Comissão Europeia

Os principais intervenientes europeus nos domínios da energia, dos serviços públicos e da ciência provenientes da Finlândia, da França, da Alemanha, da Grécia, da Itália, do Luxemburgo, da Noruega, da Roménia e da Eslovénia participam neste programa, que decorrerá até ao verão de 2022.

A Comissão Europeia, no âmbito do programa European Horizon 2020, confiou à Capgemini a coordenação do Projecto Phoenix. Trata-se dum programa, criado e financiado por Bruxelas, tendo em vista proteger os sistemas e as redes de energia elétrica na Europa (EPES).

Os principais intervenientes europeus nos domínios da energia, dos serviços públicos e da ciência provenientes da Finlândia, da França, da Alemanha, da Grécia, da Itália, do Luxemburgo, da Noruega, da Roménia e da Eslovénia participam neste programa, que decorrerá até ao verão de 2022.

A Capgemini irá apoiar a Comissão Europeia através da implementação de um programa de proteção dos dados, incluindo a monitorização contínua de ataques. Adicionalmente, e ainda no âmbito deste projecto, a Capgemini participou no desenvolvimento de cenários de possíveis incidentes que poderão vir a comprometer dados críticos, tendo em especial atenção a natureza específica do funcionamento das infraestruturas de energia.

Esta abordagem foi concebida para garantir que a segurança das infraestruturas estará no cerne de cada uma das várias fases do projeto.

“A cibersegurança tornou-se num aspecto crítico para todos os programas de transformação digital dos sistemas de informação, bem como num factor essencial no que diz respeito aos activos e às infraestruturas industriais. Liderar a coordenação dum programa tão importante para a Comissão Europeia é uma responsabilidade que a Capgemini leva muito a sério, e uma oportunidade para demonstrarmos o nosso papel enquanto pioneiros no universo da cibersegurança”, referiu Farhan Sahito, coordenador do Projecto Phoenix na Capgemini.

PCGuia
Ler mais
Recomendadas

PremiumArriva alerta para necessidade de subir salários

Multinacional alemã Deutsche Bahn demarca-se de outras operadoras de transporte público rodoviário de passageiros. Dona da TST aplaude a política de tarifas baixas aplicada pelo Governo, mas exige compensações.

Mais de 50 jornalistas subscrevem abaixo-assinado em defesa de Maria Flor Pedroso

“Confrontados com o grave ataque público à integridade profissional da jornalista Maria Flor Pedroso, os jornalistas abaixo-assinados não podem deixar de tomar posição em sua defesa”, referem os 55 jornalistas que subscrevem o documento.

PremiumO Estado angolano, a empresa americana e o gestor português

A Aenergy, detida por um português, teve vários contratos cancelados pelo Executivo angolano por alegadas irregularidades. Oempresário diz que sempre cumpriu a lei e já recorreu das decisões.
Comentários