Carcavelos: Águas sujas e ratazanas mortas levam à interdição da praia

Apesar de não existirem garantias de que a água estivesse contaminada, o delegado regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo afirma que “não havia necessidade de correr riscos desnecessários”.

A interdição da praia de Carcavelos, em Cascais, foi “absolutamente necessária”, uma vez que “não havia garantias que a água não estivesse contaminada”, disse Mário Durval, delegado regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo à Lusa.

A praia está interditada a banhos desde as 9h00 de hoje e, o responsável explicou que a decisão era necessária “para garantir a segurança dos banhistas”.

Apesar de não existirem garantias de que a água estivesse contaminada, “depois de na terça-feira ter chovido como choveu e de nos termos deparado com um cenário em que tínhamos as águas sujas, ratazanas mortas, não hesitei em mandar interditar a praia. Não havia necessidade de correr riscos desnecessários”, realçou o delegado.

As análises da água já foram solicitadas pela Câmara Municipal de Cascais e os resultados serão conhecidos amanhã. “Se as análises determinarem que não há risco a praia é reaberta. Caso contrário, permanecerá interditada até que os resultados sejam positivos”, ressalvou.

O comandante da Polícia Marítima de Cascais, Mário Domingues, prevê que a situação se normalize já amanhã.

Relacionadas

Praia de Carcavelos interdita a banhos

As chuvas intensas do início desta semana colocaram em causa a qualidade da água daquela praia, que está interdita preventivamente. Sexta-feira chegam os resultados das análises que estão a ser levadas a cabo pela APA e pela Câmara de Cascais.
Recomendadas

Pedidos de habitação social em Lisboa atingem máximo de oito anos

Segundo dados da autarquia, vivem nos bairros municipais “cerca de 75 mil pessoas”, o que corresponde a “mais de 15% da população da cidade”. Na cidade do Porto existem mais de mil pedidos por satisfazer.

Táxis: Taxistas insistem que mantêm protesto até serem recebidos pelo Governo

Os taxistas continuam este sábado parados, pelo quarto dia consecutivo, e determinados a manter o seu protesto até serem recebidos pelo Governo, disse hoje Florêncio Almeida, da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros de Passageiros (ANTRAL).

Diretor artístico do Museu de Serralves apresenta demissão

O diretor artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, apresentou na sexta-feira a sua demissão porque “já não tinha condições para continuar à frente da instituição”, segundo disse o próprio ao jornal Público.
Comentários