PremiumCarlos Costa passou férias em Vale do Lobo após aprovação de crédito ruinoso

Governador arrendou casa em resort de luxo, em 2013 e 2014, quando o empreendimento já estava a falhar crédito da CGD que contou com a aprovação do próprio quando foi administrador do banco.

O governador do Banco de Portugal (BdP) passou férias no resort turístico de luxo Vale do Lobo, onde arrendou casa em 2013 e 2014, depois de ter votado favoravelmente enquanto administrador da Caixa Geral de Depósitos (CGD) o empréstimo de 194 milhões ao projeto imobiliário, onde o banco público ficou ainda com uma participação de 25%. O arrendamento ocorreu numa altura em que sociedade gestora do resort já estava a falhar, há quatro anos, o pagamento do empréstimo ao banco do Estado.

O financiamento a Vale do Lobo é apontado como um dos créditos ruinosos no relatório de auditoria da EY à gestão da Caixa entre 2000 e 2015, período em que este investimento gerou perdas de 228 milhões de euros.  E ganha agora relevância na opção de  férias de Carlos Costa naquele resort face a críticas de altos quadros do BdP por questões de natureza “ética e de imagem”. O presidente da Transparência e Integridade – Associação Cívica (TIAC) aponta também as baterias ao governador, defendendo que  “não teve zelo suficiente para ter o mínimo de distanciamento na relação com os atores que foram beneficiários dos erros cometidos por si próprio”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

PremiumCarlos Costa escapa a exame de idoneidade a ex-gestores da CGD

Supervisor está a avaliar a responsabilidade de ex-gestores da Caixa nas decisões de negócios ruinosos do banco público. Exame exclui o governador do Banco de Portugal, também ele ex-administrador da CGD. Decisão está a gerar polémica.

Respostas rápidas: Carlos Costa pode ser exonerado com as regras em vigor? Saiba os passos do afastamento de um governador

O governador do Banco de Portugal é “inamovível”, mas pode ser exonerado do seu cargo se não cumprir os requisitos ou tiver cometido falta grave. Saiba aqui em que circunstâncias Carlos Costa pode ser afastado do cargo de governador do Banco de Portugal e que o que está em causa na sua ligação à CGD.

PSD, CDS e PS contra pedido de exoneração de Carlos Costa, por causa da comissão de inquérito à CGD

A comissão de inquérito à gestão da CGD foi o “leitmotiv” dos partidos PSD, CDS e PS para não aprovarem no Parlamento o projeto de resolução (recomendação ao Governo) do Bloco para exonerar o Governador.
Recomendadas

CaixaBank prevê reduzir 8.291 trabalhadores em Espanha na sequência da fusão com Bankia

É a maior redução do quadro de pessoal da história da banca em Espanha, segundo o El País. Os ajustes afetam o CaixaBank Espanha e não as filiais do grupo no exterior, o que é uma boa notícia para o BPI.

Fitch diz que deterioração da qualidade da carteira de crédito começa a notar-se nos resultados do segundo trimestre

A Fitch aponta para o risco de mais imparidades para crédito à medida que as moratórias  que restam expirem este ano, principalmente em países que fizeram mais uso da moratória, como a Grécia, a Irlanda, Itália e Portugal.

Jaime Antunes diz que o BPP foi o único banco da zona euro onde clientes perderam os depósitos

Houve uma segunda dimensão na crise do BPP que “foi uma dimensão claramente política” porque o Governo de Sócrates não quis salvar “o banco dos ricos”, frisou Jaime Antunes. O gestor lembrou que há processos do BPP parados à espera de despacho do juiz há 10 anos, e fala da falta de transparência da Comissão Liquidatária nomeada pelo Banco de Portugal.
Comentários