Carlyle avalia venda de posição na portuguesa Logoplaste

De acordo com a agência, o grupo já contactou o Barclays Plc e o Goldman Sachs para se aconselhar sobre o negócio.

Jason Reed/Reuters

O grupo Carlyle está a analisar o futuro da portuguesa Logoplaste, na qual detém uma participação desde 2016, não excluindo a possibilidade de venda da sua posição, cuja avaliação poderá rondar mil milhões de euros, avançou hoje a Bloomberg.

De acordo com a agência, o grupo já contactou o Barclays Plc e o Goldman Sachs para se aconselhar sobre o negócio.

Caso a Carlyle opte pela venda, o processo poderá iniciar-se após o verão, atraindo o interesse de outras empresas que também operam no segmento das embalagens plásticas, indicaram as fontes consultadas pela Bloomberg.

A agência financeira contactou também o grupo Carlyle, o Barclays e o Goldman Sachs, que se escusaram a comentar o processo.

Fundada em 1976, a Logoplaste tem clientes como o grupo alimentar Kraft Heinz, a produtora de álcool Diageo Plc e a fabricante de cosméticos L’Oreal.

No total, a empresa detém mais de 60 unidades industriais em 16 países, gerando receitas superiores a 500 milhões de euros.

Ler mais
Recomendadas

Transportes Metropolitanos de Lisboa aprovado pelo Conselho Metropolitano

A Área Metropolitana de Lisboa detém a totalidade da empresa, que vai o património da empresa OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa.

Autoeuropa confirma intenção de não renovar contrato a 120 trabalhadores, revela sindicato

“A Autoeuropa reafirmou a intenção de não renovar os contratos com os 120 trabalhadores. E nós, mais uma vez, reafirmámos que isso não faz qualquer sentido. E que, na nossa opinião, havia alternativas para recolocar estes trabalhadores em outras áreas na fábrica”, disse o dirigente do SITE-SUL, Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul.

Singularity Digital Enterprise colabora na base de dados digital da Fundação José Neves

O trabalho desta empresa portuguesa para a ferramenta de informação “Brighter Future” consistiu na análise de mais de 200 milhões de registos provenientes de mais de 2.500 fontes de dados diferentes.
Comentários